Ex-chefe da Odebrecht no Peru diz que deu dinheiro para campanhas de Kuczynski e Fujimori, diz advogada

LIMA (Reuters) - O ex-chefe da Odebrecht no Peru Jorge Barata disse a promotores peruanos durante uma audiência judicial no Brasil que entregou dinheiro para as campanhas eleitorais do presidente Pedro Pablo Kuczynski e da ex-candidata presidencial Keiko Fujimori, informou nesta quarta-feira a advogada da líder opositora.

A advogada Giuliana Loza afirmou de São Paulo, em declarações a jornalistas peruanos transmitidas pela televisão local Canal N após a audiência, que Barata também disse que entregou dinheiro para a campanha do ex-presidente Alan García, que governou o país entre 2006 e 2011.

A Reuters não pôde confirmar de imediato o que disse Barata aos promotores peruanos. O principal promotor do caso não respondeu imediatamente às solicitações de comentários.

Kuczynski, que concorreu à Presidência em 2011 e novamente em 2016, quando ganhou a eleição, rechaçou através do Twitter o que foi dito por Barata. "Jamais recebi uma doação do senhor Barata. Eu não recebi nenhum financiamento da dita fonte para as minhas campanhas presidenciais."

Um grupo de promotores peruanos interrogou Barata em São Paulo nesta quarta-feira no âmbito da investigação sobre lavagem de ativos do partido da filha mais velha do ex-presidente Alberto Fujimori, acusada de receber dinheiro da Odebrecht para financiar sua campanha eleitoral em 2011.

(Por Marco Aquino e Mitra Taj)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos