Topo

Filho de Bolsonaro diz que há opções dentro do MDB para presidir Senado

Janaina Garcia/UOL
Imagem: Janaina Garcia/UOL

Maria Carolina Marcello

Em Brasília

06/11/2018 19h15

O senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente eleito, afirmou nesta terça-feira que há nomes dentro do MDB para comandar o Senado, mas o presidente da Casa precisa ter "algum" alinhamento com o próximo governo.

Segundo ele, as conversas ainda estão numa fase preliminar, e adiantou que não pretende se colocar como candidato ao posto.

"Se essa é a tradição da Casa, a gente tem que seguir", disse, referindo-se ao costume de conferir a presidência à maior bancada. A partir do próximo ano, o MDB terá 12 senadores, sete a menos do que tem atualmente, mas seguirá com a maior bancada. O segundo será o PSDB, com nove senadores.

"Com certeza no partido de maior bancada há nomes", afirmou, acrescentando que por ora teve apenas "conversas de bastidores".

"Estou aqui para somar e ajudar as propostas do governo Bolsonaro a serem aprovadas no Senado Federal", declarou. "E isso passa por um presidente que tenha algum alinhamento", avaliou Flávio Bolsonaro, que atualmente é deputado estadual no Rio de Janeiro.

Aliados do presidente eleito, Jair Bolsonaro, não nutrem simpatia por uma eventual candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL), que já comandou a Casa mais de uma vez e reelegeu-se senador na esteira da popularidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Nordeste.

Notícias