PUBLICIDADE
Topo

"Sim" vence com folga em referendo nas Filipinas sobre região autônoma muçulmana

26/01/2019 11h57

MANILA (Reuters) - Áreas de maioria muçulmana no sul das Filipinas expressaram um ressonante “sim” nesta semana ao votar em um referendo sobre o aumento de sua autonomia, fortalecendo a esperança de paz em uma das áreas mais conflituosas da Ásia.

O plano de criar uma região com independência administrativa para reunir as áreas de predominância muçulmana de Mindanao foi aprovado por 85 por cento dos eleitores, informou a comissão eleitoral na noite de sexta-feira, abrindo caminho para uma transição de três anos na qual está prevista a eleição de parlamentares que em seguida devem escolher um Executivo.

O referendo de segunda-feira foi o ápice de um conturbado processo de paz envolvendo separatistas e sucessivos governos, com o objetivo de encerrar décadas de um conflito que prejudicou o desenvolvimento e transformou essas áreas de Mindanao em umas das mais pobres da Ásia.

A instabilidade e o alto número de jovens desempregados e sem educação formal tornou essas áreas um campo fértil para extremistas islâmicos, que se valeram de acusações de negligência e estimularam narrativas sobre a dubiedade do governo durante o processo de paz.

A aprovação manifestada por 1,74 milhão de eleitores não foi uma surpresa, e a nova região, que será chamada de Bangsamoro, vai ter mais poder para gerar receita e investir em infraestrutura, escolas, assistência médica e social para sua população estimada em 5 milhões de habitantes.

Um outro pleito será agora realizado em 6 de fevereiro para que outras áreas decidam se desejam se unir à nova região. O governo central vai ficar responsável pelas áreas de defesa, segurança, relações exteriores e política monetária, e deve em breve designar uma autoridade de transição indicada pela Frente Moro de Libertação Islâmica.

(Por Martin Petty)