Topo

Gregos marcham em aniversário da revolta estudantil de 1973

17/11/2019 16h05

ATENAS (Reuters) - Milhares de gregos, incluindo o ex-primeiro-ministro Alexis Tsipras, marcharam pelo centro de Atenas na noite deste domingo para marcar o aniversário da revolta estudantil violentamente reprimida em 1973, que ajudou a derrubar uma junta militar.

A marcha anual geralmente se torna ponto focal de protestos contra políticas do governo e, em anos recentes, contra a austeridade, após uma crise financeira que já dura uma década.

A polícia colocou mais de 5.000 oficiais na ruas do centro de Atenas. Um helicóptero pairou sobre a Praça Syntagma e distritos vizinhos ao longo do dia.

À frente da marcha, marcada para terminar na embaixada dos EUA, jovens seguraram uma bandeira manchada de sangue que pertenceu aos estudantes engajados na revolta de 1973. Manifestantes guardam rancor de Washington pelo seu apoio à ditadura militar de 1967-1974.

Tsipras, esquerdista que perdeu as eleições parlamentares para seu rival conservador Kyriakos Mitsotakis, em julho, participou da marcha.

Vestido em uma jaqueta de couro e jeans, Tsipras deu os braços a outros oficiais do movimento Syriza durante a procissão.

Desde sexta-feira, muitas pessoas descansaram grinaldas e cravos na Politécnica de Atenas, local da sangrenta repressão em 17 de novembro de 1973, quando tanques arrombaram os portões para acabar com a revolta que antecipou o fim da junta.

(Reportagem de Renee Maltezou e Michele Kambas)

Notícias