Azerbaijão e Turquia realizam primeiros exercícios conjuntos desde vitória em Nagorno-Karabakh

(Reuters) - O Azerbaijão disse nesta segunda-feira que havia iniciado uma série de exercícios militares conjuntos com a aliada Turquia, os primeiros desde que o governo de Baku retomou a região separatista de Nagorno-Karabakh no mês passado, levando a maioria dos armênios étnicos do território a fugir.

O Ministério da Defesa do Azerbaijão disse em um comunicado que até 3.000 militares estavam participando dos exercícios nomeados em homenagem ao fundador da Turquia moderna, Mustafa Kemal Ataturk.

O ministério afirmou que os exercícios estavam sendo realizados em todo o Azerbaijão, inclusive em Baku, no exclave de Nakhichevan, que faz fronteira com a Turquia, e no que chamou de "territórios libertados" de Karabakh.

A Turquia tem estreitos laços linguísticos e culturais com o Azerbaijão e ofereceu a Baku apoio militar e político durante o conflito de três décadas com a Armênia, com a qual Ancara não tem relações diplomáticas formais.

Armênia e o Azerbaijão têm demonstrado recentemente disposição para assinar um tratado de paz que encerre formalmente o conflito, após a vitória do Azerbaijão em Nagorno-Karabakh e o êxodo de quase todos os 120 mil armênios étnicos da região.

Os ministros das Relações Exteriores dos dois países, junto de Turquia, Irã e Rússia, deveriam realizar discussões em Teerã nesta segunda-feira sobre o progresso em direção a um acordo de paz.

No entanto, Baku acusou Yerevan neste mês de prejudicar o processo de paz com uma "retórica agressiva".

A Armênia descreve a fuga dos armênios de Nagorno-Karabakh como uma limpeza étnica motivada pela ameaça de violência após um bloqueio de nove meses de suprimentos essenciais, o mais recente capítulo de um conflito entre armênios cristãos e azeris muçulmanos turcos que remonta a mais de um século.

O Azerbaijão diz que os civis armênios de Nagorno-Karabakh eram bem-vindos para ficar e se integrar à sociedade azeri, mas saíram voluntariamente.

Continua após a publicidade

(Por Felix Light)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes