Israel realiza ataques terrestres limitados em Gaza enquanto tropas se aglomeram na fronteira

Por Dan Williams e Nidal al-Mughrabi

JERUSALÉM/GAZA (Reuters) - Os militares de Israel disseram nesta segunda-feira que suas forças terrestres realizaram ataques limitados em Gaza e que os ataques aéreos tiveram como alvo os militantes palestinos que se reuniram para repelir qualquer invasão israelense mais ampla, enquanto cada lado se prepara para o próximo estágio da guerra.

O grupo palestino Hamas disse no domingo que seus combatentes enfrentaram uma força blindada que se infiltrou em uma área ao sul de Gaza e destruiu alguns equipamentos militares israelenses antes de retornar à base. Não houve comentários israelenses sobre essas perdas.

Não está claro quando Israel poderá lançar uma invasão em grande escala, e nenhum dos lados sabe exatamente o que esperar quando isso acontecer. O exército mais poderoso do Oriente Médio enfrenta um grupo que construiu um poderoso arsenal com a ajuda do Irã, lutando em um ambiente urbano lotado e usando uma vasta rede de túneis que construiu e que as tropas israelenses apelidaram de "Metrô de Gaza".

Em um briefing televisionado descrevendo as últimas ações de Israel em campo, o porta-voz militar chefe de Israel, contra-almirante Daniel Hagari, também disse que 222 pessoas foram confirmadas como reféns durante o ataque transfronteiriço do Hamas em 7 de outubro.

"Durante a noite, houve ataques de tanques e forças de infantaria. Esses ataques são ataques que matam esquadrões de terroristas que estão se preparando para o próximo estágio da guerra", disse ele, descrevendo incursões que foram "fundo" em Gaza.

"Essas incursões também localizam e buscam tudo o que pudermos obter em termos de inteligência sobre os desaparecidos e os reféns."

Hagari disse que essas intervenções ajudaram a entender onde "os terroristas estão se reunindo, os terroristas estão se organizando em antecipação aos próximos estágios da guerra. E nosso papel é reduzir essas ameaças".

Alimentando as expectativas de uma ofensiva terrestre em grande escala por parte das forças israelenses concentradas em torno de Gaza, ele disse que a prontidão operacional dos militares estava melhorando e sendo aprimorada "o tempo todo".

Continua após a publicidade

As Brigadas Izz el-Deen al-Qassam, o braço armado do Hamas, disseram em um comunicado no domingo que suas forças haviam enfrentado uma força que se infiltrava a leste de Khan Younis, no sul de Gaza.

"Os combatentes enfrentaram a força infiltrada, destruindo duas escavadeiras e um tanque e forçando a força a se retirar, antes de retornarem em segurança à base", disse o comunicado.

GUERRAS INCONCLUSIVAS

Desde que os ataques transfronteiriços do Hamas às comunidades israelenses em 7 de outubro mataram 1.400 pessoas, Israel reuniu tanques e tropas perto da fronteira cercada em torno de Gaza para uma invasão terrestre. Israel já lançou ataques aéreos intensos em Gaza, onde pelo menos 4.600 pessoas foram mortas.

Israel diz que quer eliminar o Hamas "da face da terra" após várias guerras inconclusivas desde que o grupo tomou o poder no enclave em 2007, depois que Israel retirou suas forças da estreita faixa de terra em 2005.

Os militares israelenses disseram na segunda-feira que, nas últimas 24 horas, atingiram mais de 320 alvos em Gaza, incluindo um túnel que abriga combatentes do Hamas e postos de comando e vigia.

Continua após a publicidade

Israel afirmou que sua campanha militar superará qualquer ação anterior contra o Hamas, mas o grupo palestino já provou ser capaz de surpreender Israel no passado e estará lutando em um ambiente urbano denso com armas poderosas.

Com base no que aconteceu nas incursões israelenses em 2008 e 2014, as bombas detonadoras de bunkers e os tanques Merkava de alta tecnologia de Israel enfrentarão uma vasta rede de túneis profundos, armadilhas e armas, incluindo mísseis antitanque Kornet de fabricação russa.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora