França pretende concluir acordo de segurança com Ucrânia até início de 2024

Por John Irish

PARIS (Reuters) - A França pretende concluir um acordo bilateral de garantia de segurança com a Ucrânia até o início de 2024, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do país nesta quarta-feira.

Os países do G7 revelaram em junho um quadro internacional para a segurança a longo prazo da Ucrânia para impulsionar as suas finanças e defesas contra a Rússia, com o objetivo de dissuadir Moscou de futuras agressões, disseram as autoridades.

Incapaz de aderir à Otan enquanto a guerra com a Rússia continuar, -- dado que o Artigo 5 da aliança, que estipula que um ataque a um membro é um ataque a todos e poderia empurrá-la para a guerra com a Rússia -- a Ucrânia tem feito lobby para compromissos de segurança a longo prazo por parte dos seus principais países apoiadores.

Os países, incluindo a França, têm negociado bilateralmente desde junho, mas há poucos detalhes sobre o que os países estão dispostos a fazer e, com a guerra, que vai entrar em seu segundo ano, há pontos de interrogação sobre o quão empenhados os aliados de Kiev podem estar.

"Sobre as garantias de segurança e o trabalho que temos feito com os nossos parceiros ucranianos... estamos trabalhando para a conclusão deste acordo com as autoridades ucranianas até ao final do ano, início do próximo ano", disse Anne-Claire Legendre a jornalistas em uma coletiva de imprensa semanal.

Uma fonte diplomática disse que o prazo no início de 2024 era mais provável.

O acordo definiria o quadro para a ajuda humanitária a longo prazo, o apoio à reconstrução e a assistência militar, disse ela.

Uma segunda fonte diplomática disse que o acordo não forneceria números financeiros detalhados ou compromissos, já que o governo francês não quer que o texto vá ao Parlamento para aprovação.

Continua após a publicidade

(Reportagem de John Irish)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes