Ataque perto da Torre Eiffel em Paris deixa turista alemão morto e dois feridos

PARIS (Reuters) - Um turista alemão morreu e duas outras pessoas, incluindo um cidadão britânico, ficaram feridas após um ataque de um homem armado com faca e com martelo perto da Torre Eiffel, em Paris, neste sábado, no que o presidente Emmanuel Macron classificou como "um ataque terrorista".

A polícia prendeu rapidamente o homem de 26 anos, de nacionalidade francesa, depois de imobilizá-lo com uma arma de choque Taser, disse o ministro do Interior, Gerald Darmanin, a jornalistas no sábado.

O suspeito havia sido condenado em 2016 a quatro anos de prisão por planejar outro ataque e estava na lista de vigilância dos serviços de segurança franceses, disse o ministro, acrescentando que ele também era monitorado por ter distúrbios psiquiátricos.

O homem atacou um casal de turistas na noite de sábado com uma faca no Quai de Grenelle, a poucos metros da Torre Eiffel, ferindo mortalmente o cidadão alemão.

Ele foi então perseguido pela polícia e atacou outras duas pessoas com um martelo, incluindo o britânico, antes de ser preso.

“Estamos dando apoio a um cidadão britânico que foi ferido em Paris e estamos em contato com as autoridades locais”, disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores britânico.

O chanceler alemão, Olaf Scholz, disse na rede social X que ficou “chocado” com o ataque.

O suspeito teria gritado “Allahu akbar” (Deus é o Maior) e disse à polícia que estava chateado porque “muitos muçulmanos estão morrendo no Afeganistão e na Palestina". Também afirmou estar descontente com a situação em Gaza, disse Darmanin.

Os promotores antiterrorismo franceses estão conduzindo uma investigação sobre o incidente e darão uma entrevista coletiva ainda neste domingo.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes