Líderes do G7 conversam com Zelenskiy e concordam com proibição a diamantes russos

Por Sakura Murakami e John Geddie e Trevor Hunnicutt

TÓQUIO/WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e líderes dos países do Grupo dos Sete (G7) se reuniram virtualmente nesta quarta-feira com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, em uma demonstração de solidariedade e concordaram com uma nova proibição aos diamantes russos.

Sob as novas medidas, os países devem banir os diamantes não industriais da Rússia até janeiro, e os diamantes russos vendidos por países terceiros a partir de março, de acordo com um comunicado conjunto divulgado após a reunião.

Os líderes também planejam reforçar os controles sobre a utilização do sistema financeiro internacional pela Rússia e estabelecer mais sanções para impor um limite de preço ao petróleo russo.

As medidas surgem após Biden ter implorado ao Congresso que financiasse seu pedido de bilhões de dólares a mais em assistência à Ucrânia, feito há semanas, dizendo tratar-se de uma “responsabilidade urgente” e que manteria os aliados dos EUA apoiando a Ucrânia. Os EUA planejam anunciar 175 milhões de dólares em ajuda militar adicional para a Ucrânia na quarta-feira, de acordo com uma autoridade norte-americana.

Durante a reunião, Zelenskiy apelou à continuação do apoio à Ucrânia.

"A Rússia acredita que a América e a Europa mostrarão fraqueza e não manterão o apoio à Ucrânia no nível adequado. Putin acredita que o mundo livre não aplicará totalmente suas próprias sanções", disse ele, de acordo com comentários publicados no site do presidente.

“O mundo livre necessita vitalmente de manter a sua consolidação, manter a interação, manter o apoio àqueles cuja liberdade está sendo atacada.”

(Reportagem de John Geddie, Sakura Murakami em Tóquio, Julia Payne em Bruxelas, Trevor Hunnicutt, Steve Holland e Daphne Psaledakis em Washington, e Yuliia Dysa em Gdansk)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora