Jordânia diz que Israel quer expulsar palestinos de Gaza

Por Suleiman Al-Khalidi

AMÃ (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores da Jordânia, Ayman Safadi, disse neste domingo que Israel estava implementando uma política de expulsar os palestinos de Gaza por meio de uma guerra que, segundo ele, atende à "definição legal de genocídio", alegações que Israel rejeitou como "ultrajantes".

Safadi, cujo país faz fronteira com a Cisjordânia e absorveu a maior parte dos palestinos após a criação de Israel em 1948, também disse que Israel criou um ódio que assombrará a região e marcará as gerações futuras.

Israel lançou a ofensiva em resposta a uma onda de assassinatos e sequestros transfronteiriços em 7 de outubro por homens armados do Hamas.

"O que estamos vendo em Gaza não é simplesmente o assassinato de pessoas inocentes e a destruição dos seus meios de subsistência (por Israel), mas um esforço sistemático para esvaziar Gaza do seu povo", disse Safadi numa conferência em Doha.

"Ainda não vimos o mundo chegar ao lugar onde deveria chegar... uma exigência inequívoca para acabar com esta guerra; uma guerra que está dentro do domínio da definição legal de genocídio."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes