Casa Branca e Congresso se esforçam para fechar acordos sobre Ucrânia e imigração

Por Ted Hesson e Richard Cowan

WASHINGTON (Reuters) - O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, defenderá a necessidade de mais ajuda dos Estados Unidos para a guerra contra a Rússia durante reuniões em Washington nesta semana, enquanto os parlamentares norte-americanos lutam por um acordo que vincule o financiamento de Kiev aos controles de imigração na fronteira com o México.

Zelenskiy foi convidado para reuniões na Casa Branca e com membros do Congresso na terça-feira. Muitos parlamentares republicanos têm questionado a continuidade da ajuda à Ucrânia.

Sua chegada a Washington ocorre em um momento em que o Congresso está sob um prazo apertado -- se não impossível -- para agir, já que está programado para entrar em recesso anual na sexta-feira.

A próxima rodada de ajuda à Ucrânia tem sido retida por uma exigência do presidente da Câmara dos Deputados, Mike Johnson, e de outros republicanos de que não sejam enviados mais fundos, a menos que sejam tomadas medidas para endurecer o controle na fronteira dos EUA com o México.

O presidente Joe Biden tem pedido ao Congresso que aja até o final do ano e os parlamentares democratas estavam tentando obter a aprovação de cerca de 50 bilhões de dólares em nova assistência de segurança para a Ucrânia. A medida dos democratas do Senado também inclui ajuda humanitária e econômica para o governo de Kiev, bem como 14 bilhões de dólares para Israel, que trava uma guerra contra o Hamas em Gaza.

No domingo, uma autoridade governamental disse que a Casa Branca tem trabalhado com os líderes republicanos da Câmara para chegar a um consenso, mas as conversas não evoluíram a ponto de a intervenção direta de Biden poder fechar o acordo.

No entanto, a Casa Branca está aberta a dificultar a obtenção de asilo nos EUA como forma de reduzir o número de imigrantes que tentam atravessar a fronteira sul do país, de acordo com uma fonte familiarizada com as negociações bipartidárias do Senado.

Enquanto isso, o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, tem pressionado por algum tipo de cláusula pró-imigrante, como a aceleração de autorizações de trabalho para imigrantes ou melhor acesso à representação legal, disse a fonte.

Continua após a publicidade

O Congresso foi alertado de que a não renovação da assistência militar dos EUA à Ucrânia poderia inclinar a guerra a favor da Rússia, criando ameaças à segurança nacional do Ocidente.

Em meados de novembro, o Departamento de Defesa dos EUA havia usado 97% dos 62,3 bilhões de dólares em financiamento suplementar que havia recebido e o Departamento de Estado havia usado todos os 4,7 bilhões de dólares em financiamento de assistência militar para a Ucrânia que haviam sido alocados, disse a diretora de orçamento dos EUA, Shalanda Young, na semana passada.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora