PUBLICIDADE
Topo

McDonald's anuncia saída definitiva da Rússia e vai vender as lojas para empresário local

16/05/2022 09h47

A gigante americana de fast-food McDonald's vai sair do mercado russo e vender seus negócios no país, disse a rede de lanchonetes nesta segunda-feira (16). Muitas empresas ocidentais deixaram a Rússia desde a invasão da Ucrânia em fevereiro. O grupo administra diretamente no país mais de 80% dos restaurantes que levam seu nome, o que representa 9% do faturamento total da empresa e 3% de seu lucro operacional.

A gigante americana de fast-food McDonald's vai sair do mercado russo e vender seus negócios no país, disse a rede de lanchonetes nesta segunda-feira (16). Muitas empresas ocidentais deixaram a Rússia desde a invasão da Ucrânia em fevereiro. O grupo administra diretamente no país mais de 80% dos restaurantes que levam seu nome, o que representa 9% do faturamento total da empresa e 3% de seu lucro operacional.

O McDonald's fechou em março todos os seus 850 restaurantes na Rússia, onde empregava 62.000 pessoas. Mas, nesta segunda-feira, deu um passo além, dizendo em um comunicado: "Depois de mais de 30 anos de operações no país, a McDonald's Corporation anunciou que sairá do mercado russo e iniciou um processo para vender seus negócios russos".

"A crise humanitária causada pela guerra na Ucrânia e o ambiente operacional imprevisível resultante levaram o McDonald's a concluir que continuar com a propriedade do negócio na Rússia não é mais sustentável, nem é conforme aos valores do McDonald's".

A empresa disse que pretende vender "todo suas lojas de restaurantes McDonald's na Rússia para um comprador local".

McDonald's acrescentou que, após a venda, os restaurantes não poderão mais usar o nome, logotipo, marca ou cardápio do restaurante.

Rússia responde por 9% da receita da empresa

A Rússia, onde o McDonald's administra diretamente mais de 80% dos restaurantes com seu nome, responde por 9% da receita da empresa e 3% de seu lucro operacional.

"Estamos excepcionalmente orgulhosos dos 62.000 funcionários que trabalham em nossos restaurantes, juntamente com as centenas de fornecedores russos que apoiam nossos negócios e nossos franqueados locais. Sua dedicação e lealdade ao McDonald's tornam o anúncio extremamente difícil", disse o presidente e CEO da empresa Chris Kempczinski em um comunicado. 

"No entanto, temos um compromisso com nossa comunidade global e devemos permanecer firmes em nossos valores. E nosso compromisso com nossos valores significa que não podemos mais manter os Arcos brilhando lá", se referindo à marca do restaurante que tem dois arcos formando um "M". 

Em 24 de fevereiro, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou a entrada de tropas na Ucrânia, provocando sanções ocidentais sem precedentes contra o país e um êxodo de empresas estrangeiras, incluindo H&M, Starbucks e Ikea.

As autoridades disseram que estavam prontas para nacionalizar ativos estrangeiros - como aconteceu com a Renault - e algumas autoridades garantiram aos russos que suas marcas favoritas teriam alternativas domésticas.

Autoridades em Moscou tentaram minimizar a gravidade das sanções ocidentais, prometendo que a Rússia se adaptará e tomará medidas para impedir a fuga de moeda estrangeira e capital.

(Com informações da AFP)