PUBLICIDADE
Topo

F1: "Mentalidades arcaicas devem mudar", diz Hamilton sobre comentários racistas de Nelson Piquet

28/06/2022 12h17

O sete vezes campeão do mundo de Fórmula 1 Lewis Hamilton reagiu nesta terça-feira (28) às declarações racistas que o ex-piloto brasileiro Nelson Piquet, três vezes campeão mundial da categoria, fez sobre ele.

O sete vezes campeão do mundo de Fórmula 1 Lewis Hamilton reagiu nesta terça-feira (28) às declarações racistas que o ex-piloto brasileiro Nelson Piquet, três vezes campeão mundial da categoria, fez sobre ele.

"É mais do que linguagem", tuitou Hamilton. "Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm espaço em nosso esporte".

"Eu fui cercado por atitudes como esta e um alvo durante toda minha vida. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora de agir", acrescentou o piloto da escuderia Mercedes. Em outra mensagem, Hamilton postou em português: "Vamos focar em mudar a mentalidade".

Em uma entrevista concedida ao site Motorsports.com em outubro de 2021, Piquet, 69 anos, comentou o incidente de julho do mesmo ano na primeira volta do GP da Grã-Bretanha entre Hamilton e o holandês Max Verstappen, que acabou com o abandono do piloto da Red Bull. Verstappen namora uma das filhas de Piquet, Kelly.

"O 'neguinho' (Hamilton) deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro (Verstappen) se fodeu. Fez uma puta sacanagem", disse Piquet na época.

Racismo é inaceitável

As declarações de Nelson Piquet foram condenadas pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e pela Fórmula 1, que organiza o Mundial de F1. 

As entidades expressaram solidariedade a Lewis Hamilton e afirmaram que o britânico é um "embaixador" da "igualdade, diversidade e inclusão nos esportes a motor". 

A Mercedes, escuderia do britânico, também reagiu no Twitter: "Condenamos nos termos mais enérgicos qualquer uso de linguagem racista ou discriminatória de qualquer tipo".

"Lewis tem sido a ponta de lança dos esforços do nosso esporte para combater o racismo. Ele é um verdadeiro campeão da diversidade dentro e fora das pistas", completa o texto.

Hamilton se envolveu com o movimento "Black Lives Matter" em 2020. Graças à sua iniciativa, vários pilotos posaram com um joelho no chão antes das corridas em sinal de apoio, e a cor dos carros da Mercedes mudou de cinza para preto até o final da temporada 2021.

"Juntos, compartilhamos uma visão para um automobilismo diversificado e inclusivo, e este incidente destaca a importância fundamental de continuar a lutar por um futuro melhor", acrescentou a Mercedes.

 (Com informações da AFP)