Depardieu, acusado de nova agressão sexual, é filmado fazendo comentários sexistas na Coreia do Norte

O ator francês Gérard Depardieu, que enfrenta uma segunda queixa por agressão sexual de uma atriz, está envolvido em um novo escândalo. Um programa da tevê francesa divulgou imagens inéditas de uma viagem do ator à Coreia do Norte para um documentário, onde ele faz comentários sexuais e sexistas contra mulheres, incluindo uma menor de idade. 

Em 2018, Gérard Depardieu viajou para a Coreia do Norte, durante as comemorações do 70º aniversário do regime comunista, com o escritor e diretor francês Yann Moix, para a realização de um documentário que nunca foi terminado. 

O programa do canal de tevê público, France 2, "Complément d'investigation" (Complemento de investigação) publicou trechos das gravações na quinta-feira (7), onde o ator multiplica, em diversas circunstâncias, comentários e até ruídos obscenos e sugestivos.

A intérprete designada para acompanhar o ator e o escritor é alvo de inúmeras observações e alusões sexuais. Visivelmente envergonhada, ela tenta várias vezes desviar a conversa com expressões educadas - "em geral, não gosto de ser notada", responde - o que não impede Depardieu de continuar. "Eu, que sou um grande caçador, vou sempre ver o que não quer ser visto", diz.

Em visita a um haras, um dos momentos mais embaraçosos, o ator compartilha sua leitura sexual e misógina da equitação. "As mulheres adoram andar a cavalo. Os clitóris se esfregam na sela (...) São grandes vagabundas", afirma, sem que nenhum dos homens que o acompanham reaja. 

Ao ver uma menina de cerca de dez anos montada em um cavalo, ele continua. "Se [o cavalo] galopa, ela gosta", afirma enquanto diz a sua intérprete, que ela deveria andar a cavalo. "É uma sensação boa", explica Dépardieu, antes de acrescentar que as mulheres que praticam equitação "gostam muito de outra coisa".

Sempre fazendo alusões sexuais, após subir em uma balança para se pesar, ele anuncia à intérprete, encurralada contra uma parede: "124 [kg], 124 querida! E não estou em ereção. Em ereção, 126!", insiste.

"Aqui tudo é de madeira, igual meu pênis", diz. "Tenho uma viga na calça",  diz, antes de informar que vai aproveitar que está sendo fotografado para "tocar na bunda" da intérprete, sentada a seu lado. As imagens não mostram se ele fez o que pretendia. 

Segunda queixa por estupro

Um dia antes da difusão destas imagens, foi anunciado que uma segunda queixa por agressão sexual contra o ator foi apresentada pela atriz Hélène Darras.

Continua após a publicidade

Hélène Darras apresentou queixa em 10 de setembro contra o ator de 74 anos, a quem acusa de agressão sexual em 2007, durante as filmagens do filme "Disco", dirigido por Fabien Onteniente, informou a Procuradoria de Paris. A informação foi divulgada na quarta-feira (6).

Esta denúncia, que a priori diz respeito a fatos prescritos, está "em análise", disse a mesma fonte à AFP, para determinar o seu rumo: classificação ou início de investigações.

A atriz, que já tinha testemunhado perante os tribunais e no site de notícias francês Mediapart, "quis responder à defesa (do ator), que minimiza nossas denúncias dizendo que se trata 'apenas' de depoimentos", explicou fazendo alusão às múltiplas acusações publicadas na imprensa contra Gérard Depardieu.

O advogado do intérprete de Cyrano, Christian Saint-Palais, não respondeu aos pedidos da AFP.   

"Sempre foi assim"

Na segunda-feira (11), a atriz francesa Anouk Grinberg disse, em entrevista à rádio France Inter, que não foi apenas na Coreia do Norte que Depardieu foi  "tão vulgar, tão grosseiro, tão agressivo com as mulheres", em reação às imagens divulgadas por France 2.

Continua após a publicidade

A atriz, que já fez vários filmes com o ator, denuncia a cumplicidade do "mundo do cinema" que é, segundo ela, "indiferente ao mal que é feito às mulheres, as humilhações infligidas a elas. E esta indiferença é incompreensível, é ensurdecedora", afirmou.

Ao menos 16 mulheres acusam o ator de violências sexistas e sexuais, 13 entre elas testemunharam para o site de notícias Mediapart.

Depardieu foi indiciado em 2020 por estupros e agressões sexuais, acusado pela atriz Charlotte Arnauld. 

?(Com informações da AFP)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes