PUBLICIDADE
Topo

Rio ainda não tem solução para pagar 13º a servidores, diz Pezão

28/10/2016 14h25

O governador licenciado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), voltou a afirmar nesta sexta-feira (28) que ainda não há solução para o 13º salário dos servidores estaduais. Segundo ele, no momento, o governo busca alternativas para o pagamento do mês de outubro.

"Eu estou vendo. Estive ontem com a equipe econômica. Primeiro, quero garantir o salário dentro do mês. Quero muito pagar, estou vendo diversas formas de como fazer isso. Não vai ser fácil, porque 2016 está pior do que 2015", disse após seminário na Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro).

Pezão afirmou que o Estado está analisando uma série de medidas para equilibrar as contas públicas e não descartou um aumento de impostos. "Até a de reavaliação, ver o que foi dado errado de incentivos. Tem uma série de medidas que vão ser tomadas e vão ser anunciadas até sexta-feira da semana que vem se tudo der certo", afirmou.

Ainda sobre as isenções fiscais nos Rio de Janeiro, o governador disse que é "melhor o Estado ter 2% de uma indústria do que não ter nada". "Não foi pela isenção das empresas que temos a crise. Não é pela atração de empresas, de investimentos. Se há erros nossos, vamos corrigir", afirmou.

A política de incentivos está sendo questionada pelo Ministério Público Estadual (MPE), que obteve na Justiça liminar para impedir que o Estado conceda novos benefícios. De acordo com o MP, o Rio concedeu R$ 150 bilhões nos últimos cinco anos.

Questionado sobre a possibilidade de redução de salário dos servidores, Pezão disse que esta não é sua intenção. "Nossa proposta é tentar equilibrar atuarialmente na Previdência", afirmou o governador.