PUBLICIDADE
Topo

Barroso: Fundo eleitoral de R$ 2 bilhões custa menos do que corrupção

Felipe Amorim e Leandro Colon

Do UOL e da Folha, em Brasília

29/12/2019 02h00

Favorável a que apenas doações de pessoas físicas possam financiar campanhas eleitorais, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso afirma, no entanto, que o atual fundo público eleitoral, estimado em R$ 2 bilhões, custa menos aos cofres públicos que o potencial de corrupção existente no modelo anterior em que empresas podiam doar para partidos e candidatos.

Em maio, Barroso, que concedeu entrevista ao UOL e à Folha no dia 29 de novembro, assume a presidência do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e vai comandar a realização das eleições de 2020, quando serão eleitos prefeitos e vereadores em todo o país.

Vídeos