Corpo de garota morta por vizinho é encontrado em canavial em Carmo do Rio Verde (GO)

Lourdes Souza
Do UOL, em Goiânia

  • Arquivo pessoal

    O corpo de Gabrielly Caroline Dias Rocha, 10, foi encontrado em um canavial em Carmo do Rio Verde

    O corpo de Gabrielly Caroline Dias Rocha, 10, foi encontrado em um canavial em Carmo do Rio Verde

O corpo de Gabrielly Caroline Dias Rocha, 10, foi encontrado em um canavial, na zona rural de Carmo do Rio Verde, cidade vizinha de Uruana (a 157 km de Goiânia) por volta das 17h50 desta terça-feira (23). A garota desapareceu na manhã do dia 18 quando saiu da casa da avó para doar um cachorro.

Segundo o capitão do Corpo de Bombeiros, Thiago Abdala de Morais, o corpo foi avistado por um tio da garota, que também fazia buscas na região. Assim que ele encontrou uma lona no meio do canavial, no início da tarde, acionou os bombeiros.

Envolto em um saco plástico de transportar adubo e em uma lona preta, o corpo estava em estado de decomposição avançado, principalmente nas áreas da face e crânio. Após a remoção, os restos mortais foram levados para o IML (Instituto Médico Legal) de Ceres.

A garota estava próxima a uma estrada que liga Carmo do Rio Verde a uma usina de álcool, a 300 metros do local indicado por Carlos José Moreira, 42, vizinho da família em Uruana, que confessou ter matado a garota nesta segunda-feira (21). Na delegacia, ele indicou para a polícia o local onde teria deixado o corpo.

O crime

Gabrielly foi morta na manhã de quinta-feira (18), depois que saiu da casa da avó para doar um cachorro. Como era amiga da filha do criminoso, ela passou no vizinho antes de seguir para o local onde deixaria o animal.

Na delegacia, Carlos contou que estava bêbado e pediu para que a garota entrasse. Ele estava sozinho e cometeu o crime. Ainda não há comprovações se houve abuso sexual.

Porém, a polícia não descarta a possibilidade já que o preso tem passagem pela polícia por estupro. Segundo a delegada-geral da Polícia Civil, Adriana Accorsi, há indícios de que a motivação do crime é a compulsão sexual que ele tem.

A prisão ocorreu na sexta-feira (19), quando a filha do autor do crime encontrou em casa uma sapatilha de Gabrielly. Ele foi preso e confessou o assassinato.

A morte da garota revoltou os moradores de Uruana, que, na tarde de hoje, tentaram colocar fogo na casa de Carlos José. Os bombeiros foram acionados para a ocorrência.

Hoje, ele foi transferido do presídio do município para Goiânia porque houve tentativa de linchamento. Na capital, Carlos bateu a cabeça na grade da cela da Delegacia de Homicídios até desmaiar e, no hospital, se jogou da cama. Os ferimentos foram leves e ele já retornou à cela.

Últimas de Cotidiano

 

Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos