Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2016/01/13/el-chapo-e-escobar-os-dois-traficantes-mais-procurados-do-mundo.htm
  • totalImagens: 9
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20160113060000
    • Pablo Escobar [62332];
    • Colômbia [5742]; Mexico [5864]; Medellín [9872]; América Latina [13525];
    • Internacional [35978]; Narcotráfico [15258]; Narcos [75905]; Drogas [12492];
Fotos

Em diferentes épocas, o colombiano Pablo Emilio Escobar Gaviria e o mexicano Joaquín Archivaldo Guzmán Loera foram considerados os maiores narcotraficantes do mundo. Morto em 1993, Escobar, ou El Patrón, foi o rei do tráfico de cocaína entre 1976 e 1993. El Chapo é hoje o número 1 na venda, não só de cocaína, mas também maconha, heroína e metanfetamina. Em comum, além de serem os mais procurados por autoridades americanas, ambos tiveram infâncias difíceis, promoveram um verdadeiro banho de sangue em seus países e tinham ambições ousadas: Escobar quis ser presidente da Colômbia, e chegou a ser deputado; El Chapo foi preso porque planejava um filme sobre sua própria vida. A parte curiosa é que Guzmán e Escobar já se encontraram, segundo o mexicano revelou na entrevista ao ator Sean Penn Reprodução - Mexican Prison Authority Mais

Pablo Escobar foi o fundador do famoso cartel de Medellín, na Colômbia. O "rei da cocaína", como ficou conhecido, foi responsável por até 80% da droga distribuída no mundo no fim da década de 1980. El Patrón chegou a ganhar US$ 22 bilhões por ano. El Chapo lidera o cartel de Sinaloa, um dos mais poderosos e sanguinários do México, desde o começo da década de 90, e hoje distribui droga por praticamente todo o território dos EUA, sendo que a maior parte do seu mercado consumidor está na costa leste americana, bem distante da sua base, que fica na costa oeste mexicana. Até sua segunda prisão, em 2014, sua renda anual era estimada em US$ 1,153 bilhão Reprodução do livro "A Memória de Pablo Escobar", de James Mollison - USDOJ Mais

Escobar fez fortuna traficando cocaína para os EUA e a Europa, passando pela América Central e pelo Caribe, mas sua principal clientela e maior fonte de lucro sempre foi a americana. Ele usava sua frota de aviões e barcos para o transporte e foi um dos primeiros a usar submarinos para o tráfico. Guzmán hoje tem uma área de cultivo de maconha e papoula para produção de heroína maior que o território da Costa Rica e tem uma rede de operações em 17 dos 32 Estados do México. Além do domínio nos EUA, ele distribui drogas para mais de 50 países por meio de aviões e submarinos. Há relatos de que a droga vendida por ele tenha chegado até nas Filipinas e na Austrália Arte/UOL Mais

Escobar e Guzmán já estiveram na lista da revista americana "Forbes" de bilionários do mundo. O colombiano apareceu sete anos seguidos desde 1987, quando saiu o primeiro ranking de ricaços feito pela publicação. Ele apareceu na lista até mesmo enquanto esteve foragido. Já o mexicano estreou na lista de bilionários da "Forbes" em 2009 e só foi retirado em 2013. "A 'Forbes' não tem conseguido contatá-lo para verificar as cifras e acredita que boa parte de seu dinheiro é gasto para proteger a si e a sua família", justificou a publicação na época Reprodução/Forbes Mais

Quando se entregou, Escobar teve a oportunidade de construir sua própria prisão e transformou a Catedral, como era conhecido o local, em quase um clube de lazer --incluindo um meio para deixar a prisão. Quando decidiu fugir, El Patrón contou com a ajuda de militares e integrantes do cartel de Medellín. Guzmán não teve a mesma sorte de Escobar e foi enviado para uma penitenciária de segurança máxima. Mas o chefão do cartel de Sinaloa já contabiliza duas fugas espetaculares: na primeira vez, escapou em um carrinho de lavanderia; a segunda fuga foi a mais incrível, já que foi construído um túnel de 1,5 km que começava em sua cela e acabava em uma propriedade nos arredores da prisão. O trajeto foi feito em uma motocicleta nos trilhos. Esta é a mesma prisão para onde El Chapo foi levado após sua terceira captura, no começo deste ano Governo da Colômbia/ AP Mais

Os dois chefões de droga também ficaram famosos pelo uso da violência. Na Colômbia, estima-se que 10 mil pessoas tenham morrido na guerra de Escobar contra o cartel de Cali, o governo colombiano e o governo dos EUA. Ele foi acusado não só por tráfico de drogas, mas também por contrabando, crime organizado, lavagem de dinheiro, assassinatos e até terrorismo --ele chegou a derrubar um avião. Em sua luta contra o governo mexicano, o governo dos EUA, cartéis inimigos e gangues rivais (e já foram muitas), o cartel de Sinaloa, de Guzmán, é considerado responsável pela morte de 3.000 pessoas. Ele é acusado de tráfico de drogas, contrabando, assassinato e lavagem de dinheiro. Ambos eram procurados pelos EUA e enfrentaram ameaças de extradição Reprodução/Colombiaconmemoria.org - Bernandino Hernandez/AP Mais

O colombiano Pablo Escobar ganhava tanto dinheiro que lavar todo o lucro se tornou impossível. Sua família tinha uma vida com muito luxo, incluindo um próprio zoológico. Há relatos de que o "rei da cocaína" chegou a queimar US$ 2 milhões em uma fogueira para aquecer sua filha com hipotermia. Ele ainda gastava US$ 2.500 mensais com elásticos para organizar todo o dinheiro que entrava. Na imagem acima, Escobar aparece diante da Casa Branca com o filho em uma de suas viagens secretas. O mexicano Chapo Guzmán teve sua coleção de 33 carros e motocicletas luxuosas confiscada no ano passado pelas autoridades do país. Ele teria ainda aviões Boeing 747 sem os assentos e submarinos para transportar drogas. Há imagens nas redes sociais que supostamente seriam de seus filhos ostentando carros, armas, muito dinheiro e até animais exóticos. Na foto acima, ele deu a entrevista para o ator Sean Penn, trazido de avião para um esconderijo no meio da selva mexicana onde El Chapo vivia confortavelmente Sebastian Marroquin/Sins of my Father - Reprodução/Rolling Stone Mais

Após a morte de Escobar em 1993, durante uma perseguição policial nos telhados de Medellín, seu túmulo se tornou um local de peregrinação de seus apoiadores. Don Pablo era famoso por seu assistencialismo e por usar sua fortuna para ajudar os mais pobres. Ele chegou a oferecer dinheiro para saldar a dívida externa da Colômbia. Um bairro na cidade o homenageava com o próprio nome. No México, em Sinaloa, Estado natal de Guzmán, seu cartel é conhecido por manter a ordem e oferecer com maior rapidez serviços básicos que deveriam ser oferecidos pelo governo, garantindo até mesmo a segurança da região, já que sua gangue não tolera roubos e furtos em seu território. Assim como Escobar, El Chapo também construiu escolas e hospitais Reuters/arquivo - Mahatma Millan/AP Mais

Autoridades mexicanas disseram que rastrearam a localização de Guzmán por causa de seus contatos para tentar fazer um filme biográfico, entre eles a entrevista com o ator Sean Penn. O colombiano Escobar não tinha essa ambição cinematográfica, mas sua história rendeu inúmeros livros, séries e até um álbum de figurinhas. Entre os grandes sucessos está Narcos, produzida pela Netflix com o ator brasileiro Wagner Moura como protagonista, e El Patrón del Mal, série colombiana feita pela rede Caracol e estrelada por Andrés Parra Divulgação/Divulgação - Rolling Stone Mais

Escobar x El Chapo: semelhanças e diferenças entre os chefões do tráfico

Mais álbuns de UOL Notícias x

Últimos álbuns de Notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos