Topo

Saiba como manter os bons funcionários até a hora de deixá-los partir

Richard Branson

25/04/2013 00h01

Como manter um funcionário excepcional que expressou interesse em abrir seu próprio negócio? Perguntou um leitor chinês, que preferiu não divulgar o nome. 

R: Quando você está abrindo uma nova empresa, você precisa atrair as pessoas melhores, mais brilhantes e mais ávidas que puder encontrar para se juntarem à sua equipe. Mas após contar com elas por alguns anos, manter os funcionários talentosos nem sempre é fácil. Eles frequentemente são motivados e independentes. Alguns podem considerar trabalhar para você como um passo visando abrir um negócio próprio.

Antevisão é importante nos negócios: não espere até que um funcionário procure você e diga que pretender sair antes de começar a pensar a respeito de quais são as metas dele e o que o mantém feliz. Isso deve fazer parte de sua decisão de contratação. Antes de você fazer uma oferta de emprego a um candidato, certifique-se de considerar como os planos dele para sua carreira se encaixam nos de sua empresa. Se houver um grande desencontro, é improvável que vocês consigam trabalhar juntos por muito tempo.

Funcionários motivados e entusiasmados serão os seus melhores ativos, de modo que se um avanço na carreira for a meta do funcionário, veja quais oportunidades de avanço você pode proporcionar; se o desenvolvimento do conhecimento técnico é o que alguém deseja, considere que tipo de treinamento pode ter no trabalho; se um equilíbrio entre vida pessoal e trabalho é que outra pessoa busca, descubra quais são as necessidades dela e então tente acomodá-las. Então mantenha contato com seus funcionários e discuta como estão progredindo, porque você precisará reajustar esse plano à medida que atinjam suas metas e escolham novas.

Se você estiver experimentando um número incomum de partidas, você pode querer se perguntar por que isso está acontecendo: talvez seus funcionários estejam se sentindo desvalorizados. Se for o caso, há formas de atender as esperanças deles de maiores papéis e mais responsabilidades.

O truque é assegurar que seus funcionários se sintam empoderados. À medida que os membros de sua equipe cresçam em suas funções, dê-lhes responsabilidades reais. Eles respeitarão você por isso e farão tudo o que puderem para estar à altura do desafio. E quando sua empresa expandir, isso poderá lhe dar a oportunidade de seguir um exemplo da Virgin: assim que a Virgin Records se tornou grande o bastante, nós a dividimos em duas, com pessoas diferentes dirigindo negócios separados. Há muitos aspectos positivos nisso, mas fundamentalmente os funcionários mantiveram a responsabilidade por seus projetos e não foram atrapalhados pela burocracia interna.

É preciso dar ao seu pessoal a liberdade para serem criativos, apresentarem suas próprias ideias e tocá-las adiante. Se alguém lhe apresentar uma ideia para um negócio, por que não pedir para aquela pessoa lançar uma nova empresa? Ao longo dos anos, algumas das ideias de nossos funcionários resultaram na criação de novos negócios. Isso nos ajudou a entrar em novos mercados e, com frequência, a sermos bem-sucedidos. Sua empresa deve servir como um trampolim para funcionários ambiciosos, não como grilhões.

É claro, se você tiver um funcionário que está realmente florescendo, ele ou ela pode chegar a um ponto em que terá vontade de ser seu próprio chefe, e quando isso acontecer não será culpa de ninguém. Como qualquer empreendedor lhe dirá, não há nada como dirigir seu próprio negócio. Essa é uma oportunidade para sua empresa, não um revés. Trazer uma pessoa nova para sua equipe significa que você terá um novo ponto de vista em seu negócio e você terá a chance de somar algo aos conhecimentos e talentos de sua equipe.

Mas busque manter contato com a pessoa que está partindo –você poderá querer trabalhar com ela de novo algum dia. Alguns ex-funcionários da Virgin partiram para realizar coisas maravilhosas, como o presidente-executivo da AirAsia, Tony Fernandes. Tony teve um período muito bem-sucedido conosco como superintendente financeiro. Assim que ele partiu, ele aceitou um emprego na Malásia, seu país natal, então assumiu a AirAsia e a transformou em uma companhia aérea de tarifa baixa. Nós desfrutamos de uma rivalidade amistosa ao longo dos anos --até mesmo fizemos uma aposta sobre qual de nossas equipes de "Fórmula Um" se sairiam melhor em 2010. Eu perdi! Neste ano fizemos arranjos para que eu pagasse a aposta, e assim, em 12 de maio, eu trabalharei como comissária de bordo de um voo especial da AirAsia, vestindo uniforme completo, incluindo perna depilada e maquiagem. Boa parte da receita será destinada à caridade.

Se seu funcionário está partindo, seja para uma empresa concorrente ou para abrir sua própria firma, o melhor que você pode fazer é desejar à pessoa um caloroso "boa sorte". Há muitos caminhos que uma carreira pode tomar, e algum dia --quem sabe?-- vocês podem até mesmo decidir ingressar em um negócio juntos.

* Richard Branson é o fundador do Virgin Group e de empresas como Virgin Atlantic, Virgin America, Virgin Mobile e Virgin Active.
 

Notícias