Cerveja feita há 5.000 anos? Veja achados curiosos de arqueólogos

Do UOL, em São Paulo

Você já imaginou qual o brinquedo sexual mais antigo já encontrado por arqueólogos? E quando a humanidade começou a fazer cerveja? Desde quando a maconha é usada pelo ser humano? Esta lista pode ajudá-lo a obter respostas sobre objetos incomuns encontrados por arqueólogos durante seus estudos. 

David Potter/Imprensa da Universidade de Oxford/Divulgação
David Potter/Imprensa da Universidade de Oxford/Divulgação

Maconha (2.700 anos)

Sim, a maconha não é algo moderno. A mais velha planta do tipo cultivada por humanos e encontrada por arqueólogos tem 2.700 anos de idade, segundo a Discovery Magazine. Em 2008, a porção da droga foi encontrada em uma cova no deserto de Gobi, na Mongólia. Teorias afirmam que a planta não foi utilizada para os humanos fazerem roupas ou outros objetos, mas realmente para fins psicoativos. O autor do estudo comandado pela Academia de Estudos Botânicos Chinesa disse, na época, que a planta é "bem similar" à que circula hoje em dia. Pesquisa sobre essa antiga maconha foi publicada também no Journal of Experimental Botany, da Universidade de Oxford
Dr Jacky Finch/Museu do Egito/Divulgação
Dr Jacky Finch/Museu do Egito/Divulgação

Dedo artificial (3.000 anos)

Como andar sem dificuldades se você perde um dedo? A necessidade de um dedo artificial provavelmente deu origem à mais velha prótese já encontrada. Alguns "dedos de madeira" foram achados enterrados com múmias datadas de 3.000 anos atrás, de acordo com a Discovery News. Nas escavações, foram encontrados diferentes tipos de dedos artificiais: um era feito de gesso, cola e linho, enquanto outros eram de madeira e couro. Teste comandado por pesquisadores da Universidade de Manchester e publicado no Journal of Prosthetics and Orthotics provou, com a presença de voluntários sem o dedão direito, que o objeto realmente servia como prótese, principalmente para os mais velhos
Reprodução
Reprodução

Canção (3.400 anos)

3.400 anos é a idade da canção mais velha já encontrada por arqueólogos, apesar de haver debate acadêmico sobre isso. A tábua em língua antiga foi achada nos anos 1950, em escavações na Síria. A música está na linguagem Hurrian, mas foi traduzidas. Anne Draffkorn Kilmer, professora da Universidade da Califórnia, decifrou os escritos na década de 1970. Você pode até ouvi-la no YouTube -seu criador não poderia imaginar que sua canção estaria disponível para todo o mundo milhares de anos mais tarde
Klaus Bentele, LDA Halle/Divulgação
Klaus Bentele, LDA Halle/Divulgação

Bolsa (4.500 anos)

Uma bolsa com dentes de cachorro na parte de fora poderia ser um item usado por algum ícone da moda atual. No entanto, a criação tem milhares de anos, segundo a National Geographic. A mais antiga bolsa já achada tem 4.500 anos e foi encontrada em uma cova na Alemanha, por pesquisadores do Departamento de Arqueologia e Preservação do Estado da Alta-Saxônia. A bolsa é cravejada com cerca de cem dentes de cachorro, que, para pesquisadores, eram elementos decorativos. O tecido e o couro do objeto se desintegraram, e tudo o que sobrou foram os dentes. A descoberta foi feita em 2012. Um arqueólogo envolvido no achado comentou que o estilo da bolsa parecia "bem fashion" na época
Jiajing Wang/Universidade Stanford
Jiajing Wang/Universidade Stanford

Cerveja (5.000 anos)

O gosto que o homem tem pela cerveja pode ser mais antigo do que você imagina. Arqueólogos da Universidade de Standford, nos EUA, encontraram um "kit" de 5.000 anos atrás com equipamentos para fabricar cerveja. O material estava ao longo do rio Wei, na China. Analisando os restos da bebida ainda grudados nos objetos, os pesquisadores conseguiram recriar a receita, que leva cevada, milho, capim-de-nossa-senhora e tubérculos (será que fica bom?). A descoberta posiciona o cultivo de cevada na China em 1.000 anos antes das estimativas anteriores
Museu da Cidade de Ljubljana/Divulgação
Museu da Cidade de Ljubljana/Divulgação

Roda de madeira (5.200 anos)

A invenção da roda revolucionou o mundo e impulsionou o crescimento das sociedades. A roda de madeira mais velha já encontrada tem 5.200 anos de idade, de acordo com medição de carbono de um laboratório de Viena, na Áustria. O objeto foi achado em 2002 por uma equipe de arqueólogos do Instituto de Arqueologia de Ljubljana em um pântano perto da cidade eslovena de Ljubljana, segundo o jornal Slovenia Times. A roda passou por dez anos de restauração até ser exposta em um museu local. O objeto tem um raio de 70 centímetros e foi feito a partir de freixo e carvalho.
Gregory Areshian/Divulgação
Gregory Areshian/Divulgação

Tênis de couro (5.500 anos)

Este é o mais velho calçado de couro já encontrado em escavações: tem 5.500 anos e foi desenterrado em 2010, em uma caverna da Armênia, segundo a National Geographic. Além do couro, o objeto era estofado com grama e tinha o tamanho de um sapato feminino 36. O tênis impressionou pela preservação e está apenas gasto na região do calcanhar e dos dedões, provavelmente pelo uso. O objeto foi provavelmente construído para proteger a sola do pé do terreno irregular e calor locais. O achado foi feito por um grupo internacional de arqueólogos, entre eles profissionais da Universidade de Cork, na Irlanda, e da Universidade da Califórnia.
Tom D. Dillehay/Divulgação
Tom D. Dillehay/Divulgação

Pipoca (6.700 anos)

Na época não tinha Netflix, mas nossos antepassados (e bota passado nisso) já comiam pipoca! O objeto mais velho do tipo foi achado na costa do Peru e tem 6.700 anos de idade, segundo o site Live Science, citando Dolores Piperno, curadora do Museu de História Natural de Washington. A descoberta ocorreu em 2012 e se trata do primeiro fóssil de pipoca visível sem ajuda do microscópio já encontrado --a data é anterior à invenção da cerâmica. Evidências anteriores de pipoca como lanches rápidos já tinham aparecido, mas todas se tratavam de fósseis visíveis apenas por microscópio. Há ainda achados de plantações de milho com 9.000 anos de idade no México.
Elie Posner/Museu de Israel/Divulgação
Elie Posner/Museu de Israel/Divulgação

Máscaras (9.000 anos)

Há 9.000 anos, máscaras de pedra foram criadas por fazendeiros que se assentaram na região onde hoje está a cidade de Jerusalém, de acordo com a National Geographic. Existe uma dúzia de máscaras encontradas na área (seja por pesquisadores de Harvard ou por simples fazendeiros), que até já foram expostas no Museu Nacional de Israel. A maioria dos objetos se parece com humanos mortos e, por isso, acredita-se que foram feitas como um retrato de pessoas específicas --provavelmente, ancestrais importantes. As máscaras serviriam como objetos de poder para proteger suas terras.
Universidade de Tübingen/Divulgação
Universidade de Tübingen/Divulgação

Brinquedo sexual (28 mil anos)

Por essa você não esperava: um dos objetos mais antigos dessa lista é um brinquedo sexual que, segundo pesquisadores da alemã Universidade de Tübingen, tem 28 mil anos, é feito de pedra e tem tamanho de 20 centímetros. A descoberta do objeto, partido em 14 fragmentos diferentes, ocorreu na Alemanha em 2005. Pelo formato e características, pesquisadores acreditam que o achado era utilizado como entretenimento sexual na Era do Gelo. Ranhuras, no entanto, apontam que o objeto teria sido usado para cortar pedras. Anteriormente, brinquedos sexuais já haviam sido descobertos em escavações na França e Marrocos, mas nenhum tão antigo quanto o encontrado na Alemanha.
Jensen/Universidade de Tubingen/Divulgação
Jensen/Universidade de Tubingen/Divulgação

Flauta (entre 42 mil e 43 mil anos)

Seria este talvez o primeiro objeto musical avançado já feito por humanos? É o que muitos acreditam, segundo o New York Times. Esta flauta foi encontrada em uma caverna na Alemanha e tem entre 42 mil e 43 mil anos de idade, de acordo com medição de radiocarbono feita pela Universidade de Oxford. Há uma disputa entre pesquisadores porque uma outra suposta flauta datada da mesma época foi encontrada na Eslovênia e era tida como o objeto musical mais antigo do mundo, mas estudos posteriores afirmaram que os furos no instrumento poderiam ser apenas mordidas de dentes de hienas.
Marion Bamford via Science/AAS
Marion Bamford via Science/AAS

Colchão (77 mil anos)

Desde que o mundo é mundo, as pessoas precisam dormir. Por isso, a invenção do colchão é bem antiga. O mais velho do tipo encontrado, de acordo com o Live Science, tem 77 mil anos de idade e foi descoberto por uma equipe internacional de arqueólogos de diferentes universidades na África do Sul, na famosa caverna Sibudu, que guarda diversos artefatos bem antigos. O objeto é feito de plantas da região, como o junco, que até hoje é utilizado para tecer cestos e assentos de cadeira. A tecnologia do colchão, que servia para toda uma família, contava até com uma camada de vegetal que repelia insetos

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos