PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus, gripe e dengue: Brasil poderá viver a "tempestade perfeita"

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

02/04/2020 12h18

O Brasil deve ser atingido por uma "tempestade perfeita" nos próximos dois meses. Isso porque parte do país deve enfrentar um aumento da incidência de três doenças: a Covid-19, causada pelo novo coronavírus, a gripe comum e a dengue.

A expressão "tempestade perfeita" foi usada na semana passada por Wanderson Oliveira, secretário nacional de Vigilância em Saúde, quando alertou, em entrevista coletiva, que "vamos ter o coronavírus, que é novo, vamos ter a influenza [gripe], que é rotina todo ano, e também vamos ter o pico da dengue... Estamos com três epidemias simultâneas".

O aumento dessas três doenças pode impactar ainda mais o sistema de saúde brasileiro. A tendência é que subam os números de atendimentos e internações por quadros graves, pressionando os recursos do sistema de saúde pública.

Se, por um lado, as infecções por coronavírus estão aumentando — já são 245 mortes e mais de 6,8 mil casos confirmados até esta quinta (2) —, por outro, a incidência de dengue, transmitida pelo velho conhecido mosquito Aedes aegypti, também tem registrado um crescimento preocupante.(...)

Leia a íntegra no G1.

Reinaldo Azevedo