PUBLICIDADE
Topo

TRE-RJ: maioria torna Crivella inelegível, mas desembargador pede vista

Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário - e frequentemente é necessário -, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

22/09/2020 07h30

Informa O Globo:
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) formou maioria nesta segunda-feira para condenar o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, a ficar inelegível até 2026, mas o julgamento foi interrompido por um pedido de vista do desembargador Vitor Marcelo Aranha Afonso Rodrigues. O desembargador, que tomou posse semana passada, argumentou que precisava ter mais tempo para se inteirar do processo. Segundo o presidente do TRE-RJ, Cláudio Brandão de Oliveira, o julgamento será retomado na sessão de quinta-feira.

O relator Cláudio Luís Braga Dell'Orto votou pela condenação de Crivella por abuso de poder político em um evento com funcionários da Comlurb destinado a pedir apoio eleitoral ao próprio filho nas eleições de 2018. Além da inelegebilidade do prefeito, de seu filho Marcelo Hodge Crivella e do então candidato a deputado estadual Alessandro Costa por oito anos contados a partir de 2018, o relator votou pela aplicação de multa de R$ 106 mil.

Cinco dos sete desembargadores da Corte haviam acompanhado integralmente o relator quando Vitor Marcelo Aranha pediu vista. Após o pedido de vista, o presidente do TRE-RJ Cláudio Brandão afirmou que também votará pela inelegibilidade do prefeito.

Vitor Marcelo Aranha, que figurava na lista tríplice para membro titular do TRE-RJ, foi escolhido para o cargo pelo presidente Jair Bolsonaro, que tem a prerrogativa constitucional, após a lista ser avalizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo reportagem da revista "Crusoé", Vitor foi professor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) em um curso preparatório de Direito. Flávio se filiou neste ano ao partido de Crivella e apoia a candidatura do prefeito à reeleição. Mesmo que seja condenado e torne-se inelegível, Crivella pode manter sua candidatura através de recursos ao TSE.