PUBLICIDADE
Topo

Reinaldo Azevedo

Coluna: Terceira via é cilada da guerrilha ideológica; ignora pé de frango

Quantas são as vias para chegar a esse endereço? Essa pompa toda está distante da realidade cotidiana de muitos milhões - Alan Marques/Folhapress
Quantas são as vias para chegar a esse endereço? Essa pompa toda está distante da realidade cotidiana de muitos milhões Imagem: Alan Marques/Folhapress
Conteúdo exclusivo para assinantes
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. No UOL, Reinaldo trata principalmente de política; envereda, quando necessário - e frequentemente é necessário -, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Colunista do UOL

24/09/2021 07h42

Não deixa de ser divertido. Na minha coluna na edição de hoje da Folha, aponto o que me parece, até agora, um erro primário dos postulantes a candidato da tal terceira via. E o faço quase como o alerta do motorista da mão contrária que pisca o farol para indicar um acidente na pista.

Tese: é um erro falar em polarização quando a extrema direita está na disputa, mas não a extrema esquerda. Essa leitura levaria, se a eleição fosse hoje, a uma possível vitória de Lula no primeiro turno. Outra tese: criar uma equivalência moral entre o ex-presidente e o atual não é só errado. É estúpido e contrasta com a vida real de milhões de brasileiros. Agride, ademais, fundamentos do estado democrático.

Os bolsonaristas, claro!, xingam como sempre. Mas eis que surgiram também alguns "terceiristas" bastante furiosos. Gritam em uníssono: "Lulista! Petista!" A burrice é a mais rápida de todas as armas. Briguem com o eleitorado, não comigo. Só fiz piscar o farol: "Problemas adiante na pista".

Se acham que não, boa viagem! Seguem trechos.
*
Não sou instituto de pesquisa, mas, a exemplo dos que atuam com seriedade, não faço previsões nem antevisões. Aponto o que vejo (...) Polarização? Jair Bolsonaro é o candidato inequívoco de extrema direita, mas Lula é o candidato da extrema esquerda? Por mais que se possam contestar certos fetiches do PT com o estatismo à moda antiga, esse partido representa, de um lado, o que o bolsonarismo encarna do outro? O paralelo pode servir a provocações de boteco, mas não tem substância. Enquanto isso, Lula articula alianças. A propósito: alguém duvida de que o ex-presidente, de olho no ano que vem, já conversou com mais lideranças da direita democrática do que o atual? Se duvida, está desinformado.
(...)
Segundo o Datafolha, o petista conta com 61% das intenções de voto no Nordeste na pesquisa estimulada; na espontânea, com 42%. Votariam nele 65% dos que ganham até dois salários mínimos; 57% dos empresários, por sua vez, escolheriam o "Mito". É um caso de "polarização ideológica" à espera da virtude do meio? Sete em cada dez brasileiros vivem em domicílios cuja soma das rendas dos residentes não ultrapassa três salários mínimos; para cinco em dez, a soma é de dois.

Ainda que pareça estranho à natureza das coisas, não é à da política: um extremo está na disputa; o outro não. Em vez de insistir nessa "narrativa" --ô clichezinho odiento!--, seria mais eficaz atentar para o preço do feijão, do arroz e do pé de frango. A propósito: o quilo da proteína animal que tem sobrado aos pobres dobrou de preço em 12 meses: de R$ 2,50 para R$ 5. Tem sido preparado, com frequência, em fogueiras de graveto porque falta a muitos daqueles 65% o dinheiro para comprar o gás.
(...)
Íntegra aqui