PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Giro UOL traz os destaques da manhã desta segunda, 27/03, para você; ouça

Thomaz Molina

Do UOL, em São Paulo

27/03/2017 06h44

  • Cadu Rolim/Fotoarena/Estadão Conteúdo

    JBS descarta demissões

    Mesmo com a suspensão temporária da produção de carne bovina em quase todas as unidades no país, a JBS descarta, por enquanto, demitir funcionários. A empresa emprega 125 mil pessoas somente no Brasil. De acordo com um executivo do alto escalão da companhia, a fase mais aguda da crise passou, depois que países como China, Chile e Egito liberaram a importação da carne brasileira. Os três países responderam no ano passado por cerca de 40% dos embarques de carne do país. Leia mais

  • Leonardo Benassatto/Framephoto/Estadão Conteúdo

    Suíça amplia o veto

    A Suíça ampliou a proibição de importação de carne de quatro para os 21 frigoríficos que tiveram a licença de exportação suspensa pelo governo brasileiro. Esses estabelecimentos são investigados pela operação Carne Fraca, da Polícia Federal, por supostas propinas pagas para venda de produtos sem inspeção. De acordo com as autoridades do país, a decisão de ampliar o número de unidades vetadas faz parte das medidas de segurança para toda a Europa. Leia mais

  • AP Photo/Felipe Dana

    Reforma política de volta ao Congresso

    A Câmara dos Deputados deve começar a discutir mudanças nas regras políticas e eleitorais, como o financiamento de campanhas e o sistema de eleição. Outros pontos da reforma, como o fim das coligações partidárias, também vão para o debate. É uma nova tentativa de aprovar uma reforma política ampla. Desde 1985, só foram aprovadas mudanças pontuais, seja pelo Congresso, seja por determinação do Judiciário. Leia mais

  • André Dusek/Estadão Conteúdo

    Articulação no Congresso

    Começou movimento no Congresso para enfraquecer a chamada Lei das Estatais, sancionada no ano passado com o discurso de que ajudaria a impedir a interferência de políticos em empresas públicas. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, parlamentares dizem agora que o governo está tendo problemas para preencher vagas. Entre outros pontos, querem diminuir a carência de três anos exigida pela lei para a nomeação de pessoas que tenham exercido atividades em partidos ou que tenham disputado cargos em eleições. Leia mais

  • Nelson Antoine/FramePhoto/Estadão Conteúdo

    Prefeitura de SP ignora zeladoria

    Prefeitura de São Paulo ignora três em quatro reclamações feitas neste ano na zeladoria e descumpre os prazos fixados pela própria administração municipal. O jornal Folha de S.Paulo apresentou queixas sobre 30 falhas de zeladoria por meio do serviço 156, criado para que a população faça solicitações e sugestões, mas apenas sete foram atendidas dentro do tempo máximo estipulado pela prefeitura. O combate a problemas de zeladoria deste tipo foi elencado pelo prefeito João Doria (PSDB) como uma das marcas do início de mandato. Leia mais

  • Divulgação/Assessoria de imprensa

    Tucano na mira da Lava Jato

    O ex-governador de Alagoas e presidente do PSDB no Estado, Teotônio Vilela Filho, teria recebido R$ 2,8 milhões em propina durante o mandato, de acordo com delatores da Odebrecht na operação Lava Jato. Ele comandou o Estado por dois mandatos consecutivos, de 2007 a 2014. O repasse teria sido feito por causa da atuação de Vilela Filho em favor da empreiteira nas obras do Canal do Sertão Alagoano, maior projeto de infraestrutura hídrica do Estado. Leia mais

  • Reprodução

    Julgamento de PMs

    Vai ter início hoje o julgamento de três policiais militares pela execução de Fernando Henrique da Silva, assassinado no dia 7 de setembro de 2015 depois de uma perseguição policial em São Paulo. Os PMs são acusados de jogar o rapaz, suspeito de roubo, do telhado de uma casa e ter atirado e matado ele em seguida, quando estava desarmado no chão. Um cinegrafista amador flagrou o momento da queda do assaltante, de uma altura de três metros, e depois o som de dois tiros. Leia mais

  • Thiago Bernardes/Agência Estado

    Polêmicas nos clássicos

    Em um domingo confuso para a arbitragem, os clássicos disputados pelos campeonatos paulista e carioca terminaram empatados. No Morumbi, São Paulo e Corinthians ficaram no 1 a 1 com os dois times reclamando do juiz Vinicius Furlan. No Mané Garrincha, em Brasília, Flamengo e Vasco empataram em 2 a 2 depois de um pênalti inexistente para o cruzmaltino marcado pelo árbitro Luiz Antonio Silva Santos, que também causou polêmica ao expulsar o atacante vascaíno Luiz Fabiano depois de uma reclamação. Leia mais

Cotidiano