PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Não há como manipular o Supremo, diz presidente da AMB sobre troca de acusações entre ministros

Os ministros do STF Cezar Peluso (esq.) e Joaquim Barbosa (dir.) - Sergio Lima/Folhapress
Os ministros do STF Cezar Peluso (esq.) e Joaquim Barbosa (dir.) Imagem: Sergio Lima/Folhapress

Maurício Savarese

Do UOL, em Brasília

20/04/2012 11h33Atualizada em 20/04/2012 12h30

O Supremo Tribunal Federal (STF) não pode ser manipulado porque há mecanismos para impedir que isso aconteça, além do acompanhamento da mídia e da própria Corte a cada decisão dos juízes membros. É essa a avaliação do presidente da Associação Brasileira de Magistrados (AMB), Nelson Calandra, depois da troca de críticas públicas entre os ministros do STF Cezar Peluso e Joaquim Barbosa.

Peluso, que passou a presidência do Supremo na quinta-feira (19) a Carlos Ayres Britto, disse em entrevista ao site Consultor Jurídico que Barbosa é “inseguro” e sugeriu que isso acontece porque o ministro temeria ser visto mais como um negro na mais alta Corte do país do que um magistrado reconhecido por seu saber jurídico. Por sua vez, em entrevista ao jornal “O Globo”, publicada hoje, Barbosa acusou o ex-presidente da Corte de manipular resultados.

“Não há manipulação. Isso foi modo de dizer do ministro Barbosa. O ministro Peluso é muito contundente nos seus posicionamentos e às vezes provoca reações. Mas não há como isso acontecer”, disse Calandra ao UOL. “Sempre é possível debater, pedir vistas e contestar até a proclamação do resultado. Acho que o que houve foi uma afirmação de Peluso que desagradou Barbosa e Barbosa respondeu. Isso vai ser superado.”

Peluso inúmeras vezes manipulou ou tentou manipular resultados de julgamentos, criando falsas questões processuais simplesmente para tumultuar

Joaquim Barbosa, ministro do STF

Calandra afirmou que os magistrados ficam “tristes de verem duas pessoas tão importantes para o Brasil discutindo publicamente sua relação pessoal”. “Mas acredito que o ministro Ayres Britto, que tem coração de poeta, saberá pacificar isso à frente do Supremo”, disse. “Em breve será uma etapa encerrada.”

Peluso se aposenta em setembro e o ministro Barbosa seguirá na Corte. “Esse debate é mais um choque de opinião do que uma crise”, afirmou Calandra.

A impressão que tenho é de que ele tem medo de ser qualificado como arrogante. Tem receio de ser qualificado como alguém que foi para o Supremo não pelos méritos, que ele tem, mas pela cor

Cezar Peluso, ministro do STF

Para o presidente da AMB, Barbosa “é um herói, por enfrentar as dores terríveis que sente nas costas e mesmo assim prosseguir no cargo”, enquanto Peluso é um “bom gestor, que pela 1ª vez na história da Justiça informatizou amplamente uma esfera, caso do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)”.

Apesar disso, Calandra criticou a decisão de ambos de debater pela imprensa. “Nós juízes temos de ter mais humildade no nosso relacionamento com a mídia, temos de pesar melhor”, finalizou.

Peluso no julgamento da Marcha da Maconha
Veja Álbum de fotos
Barbosa no julgamento da união homossexual
Veja Álbum de fotos

Cotidiano