PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Polícia descobre cemitério clandestino e prende suposto "coveiro" do PCC em SP

Do UOL, em São Paulo

26/11/2012 21h05

A Polícia Civil descobriu nesta segunda-feira (26) um cemitério clandestino localizado no Jardim Orion, zona sul de São Paulo, que seria utilizado por membros da facção criminosa PCC. Segundo informações da polícia, estavam enterrados no local os corpos de três homens que teriam sido enforcados.

Um suspeito de envolvimento com as mortes foi preso pelos policiais hoje. Ainda segundo informações da polícia, Danilo Lourenço de Oliveira, 21, revelou que tinha a função de coveiro do cemitério clandestino. Ele nega ter participado das mortes.

A polícia diz que as vítimas encontradas no cemitério do PCC teriam sido assassinadas no dia 4 de novembro após a realização de um julgamento pelos criminosos, numa espécie de tribunal do crime. Oliveira teria alegado que os três homens foram mortos por terem estuprado uma estudante de 14 anos.

A polícia investigava o caso do estupro da jovem, que registrou boletim de ocorrência. Segundo a polícia, a violência sexual ocorreu no dia 1º de novembro.  

Os corpos encontrados em um terreno na rua Morgado de Setúbal seriam de Rafael Pontes, 27, Diego da Silva, 21, e Marcus Vinicius Santos Silva, 18. A Polícia Civil diz que as vítimas já tinham sido presas por suspeita de roubo e tráfico, mas não sabe se também eram integrantes do PCC.

Equipes do Corpo de Bombeiros e do Instituto de Criminalística estiveram no local. 

Revelação

Segundo o delegado Mauro Fachini, do 4º Patrimônio da Polícia Civil, a descoberta do triplo homicídio foi possível a partir da prisão de Danilo Lourenço de Oliveira, que estava envolvido em um roubo.

Questionado se ele tinha envolvimento com outros crimes, Oliveira revelou a ocorrência dos assassinatos e levou os policiais até o cemitério clandestino. "Ele nega ter matado, mas seria o responsável por enterrar os corpos”, diz Fachini. 

A prisão de Oliveira ocorreu na rua Pinheiro Furtado, no Jardim Graúna, zona sul da capital paulista. No local em que foi preso foram encontrados um colete balístico e munições calibres 9mm e 32.

 

Cotidiano