PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Camelô diz que vendeu 3.500 bandeiras do Brasil em dois dias no Rio

Germano contou que compra cada bandeira por R$ 5 e vende por R$ 10 - Julia Affonso/UOL
Germano contou que compra cada bandeira por R$ 5 e vende por R$ 10 Imagem: Julia Affonso/UOL

Julia Affonso

Do UOL, no Rio

24/06/2013 19h39

As últimas duas manifestações no centro do Rio de Janeiro, na última segunda-feira (17) e na quinta (20), renderam ao camelô Germano José Elizeu, 57, cerca de R$ 17,5 mil com a venda de 3.500 bandeiras do Brasil. Ele acompanha o protesto que foi da Candelária à Cinelândia nesta segunda (24), pela avenida Rio Branco.

Qual deve ser o principal tema dos próximos protestos no Brasil?

Segundo ele, que em dias comuns vende alho no Mercadão de Madureira, zona norte da cidade, foram vendidas mil bandeiras no primeiro dia e 2.500 no segundo. O público foi estimado em 100 mil pessoas no dia 17 e 200 mil no dia 20. Germano contou que compra cada bandeira por R$ 5 e vende por R$ 10.

"Espero que o Brasil chegue na final da Copa das Confederações [domingo, dia 30]. Dá para tirar R$ 15 mil. Vou pegar esse dinheiro e guardar embaixo do colchão", diz ele, rindo.

Tráfego interrompido

Nesta segunda, a avenida Rio Branco teve o tráfego interrompido por causa da manifestação que ocupou um quarteirão da avenida. Os cerca de 500 manifestantes portam cartazes com dizeres contra a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 37, que limita o poder de investigação do Ministério Público. Eles também reclamam da situação dos fundos de pensão de empresas que foram extintas, como a Vasp, a Varig e a Transbrasil.

Cerca de 70 policiais militares acompanham a passeata, mas sem qualquer intervenção. A pista lateral da avenida Presidente Vargas também foi interditada, no sentido Candelária, a partir da avenida Passos. O desvio é feito pela pista central.

Todo o comércio na avenida e nas ruas transversais fechou as portas. Algumas lojas e agências bancárias protegeram suas fachadas com tapumes de madeira e até chapas de aço.

Cotidiano