PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Em estado grave, menino baleado no Rio é transferido de hospital

Do UOL, no Rio

06/05/2014 16h07

O menino de 8 anos que foi baleado na cabeça em uma favela da zona norte do Rio, na segunda-feira (5), foi transferido para o CTI (Centro de Terapia Intensiva) do Hospital Federal dos Servidores do Estado, no centro da capital fluminense, informou nesta terça-feira (6) a assessoria de imprensa da unidade. O estado de saúde dele é considerado grave, porém estável.

A criança estava sendo atendida em outro hospital federal, o do Andaraí, na zona norte, onde passou por uma cirurgia. A assessoria do Hospital dos Servidores não informou mais detalhes sobre a transferência, limitando-se a relatar que a unidade seria mais adequada por conta de sua especialidade.

  • 22792
  • true
  • http://eleicoes.uol.com.br/2014/enquetes/2014/02/24/rj-1-hoje-o-que-voce-mais-deseja-que-melhore-em-sua-vida-e-que-nao-depende-so-de-voce.js

Na noite de ontem (5), a vítima foi submetida a uma cirurgia que durou mais de quatro horas. O garoto voltava da escola e estava acompanhado do irmão quando foi baleado em confronto entre PMs e traficantes, segundo moradores do Morro dos Macacos, em Vila Isabel, onde há uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora).

O tiroteio ocorreu perto da base da UPP, em uma localidade conhecida como Favelinha. Os criminosos conseguiram fugir. Logo depois ocorreu novo confronto em uma área vizinha, conhecida como Rachadura. De novo, ninguém foi preso.

Moradores revoltados com o fato de a criança ter sido baleada iniciaram uma manifestação pelas ruas de Vila Isabel. O ato foi acompanhado por policiais militares, que utilizaram armamento não letal para dispersar a multidão. Os manifestantes montaram e incendiaram barricadas de fogo nos acessos à favela. O Túnel Noel Rosa, que passa sob o morro, ficou interditado nos dois sentidos.

Por volta das 21h, houve tiroteio em uma área conhecida como Pau da Bandeira. Homens do Bope (Batalhão de Operações Especiais) foram acionados e realizaram buscas na região, mas não houve prisões.

Policiamento reforçado

A CPP (Coordenadoria de Polícia Pacificadora) informou ter reforçado o policiamento na área e no entorno do Morro dos Macacos, na manhã desta terça, em razão dos atos de violência ocorridos na região.

O órgão responsável por coordenar as UPPs informou ainda que, por medida de segurança, não relataria detalhes sobre o reforço policial.

Escolas sem aula

Por conta da violência na região, 1.838 alunos não compareceram às seis unidades educacionais da rede municipal situadas no entorno do Morro dos Macacos, sendo quatro escolas e duas creches. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, as unidades abriram normalmente nesta terça, mas nenhum estudante apareceu.

Já a Secretaria de Estado de Educação informou que todas as escolas da rede funcionam normalmente.

Violência no Rio de Janeiro em 2014
Violência no Rio de Janeiro em 2014
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','45093', '')

Cotidiano