Topo

Por ordem de presos em Pedrinhas, São Luís tem 16 veículos incendiados

Carlos Madeiro

Do UOL, em Maceió

22/09/2014 10h43

Nove meses após os ataques a ônibus que resultaram na morte da menina Ana Clara, 6, São Luís sofreu uma onda com incêndios a veículos neste final de semana, o que colocou medo na população local. A ordem teria partido de presos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, segundo a polícia.

Desde sábado até a madrugada desta segunda-feira (22), oito ônibus foram incendiados e outros oito veículos foram atacados em vários bairros da capital maranhense. Não houve registro de feridos.

Os ataques começaram no sábado (20), com quatro ônibus incendiados. Eles coincidiram com um momento de tensão no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, que registra motins, fugas e mortes nos últimos dias

Nesta madrugada, os ataques se intensificaram e seis carros que estavam em uma garagem da Secretaria de Estado da Segurança Pública, no bairro do Radional, foram incendiados.

Outros três ônibus que estavam na garagem da empresa Gonçalves, localizada no bairro do Anil, também foram destruídos em incêndios. Uma concessionária na avenida dos Africanos foi alvo de criminosos, que atearam fogo em duas caminhonetes, as deixando completamente destruídas.

Até agora, 15 adultos e seis adolescentes foram detidos como suspeitos dos atos violentos. O policiamento está reforçado em toda a capital.

A polícia acredita que os novos ataques --assim com os que ocorreram no início do ano-- partiram de dentro dos presídios do complexo. O local é dominado por facções criminosas

Ataques

No sábado à noite, quatro ônibus foram incendiados, o que resultou na paralisação do serviço aos moradores até o início da manhã do domingo (21). Dois dos ataques ocorreram com veículos que estavam circulando, nos bairros Alto do Pinho e Santa Bárbara. Outros dois estavam parados na garagem da empresa Viação Abreu, em Jardim São Cristóvão.

Na noite desse domingo, outro ônibus fretado foi incendiado, no bairro Alemanha. O ataque aconteceu por volta das 19h de domingo (21).

O presidente do Sindicato dos Rodoviários de São Luís, Gilson Coimbra, afirmou ao UOL nesta manhã que a categoria vai se reunir ainda nesta segunda-feira para decidir se haverá alguma mobilização por conta dos ataques.

“A gente vai vai analisar a situação do fim de semana para decidir o que será melhor para o trabalhador. Agora pela manhã está tudo calmo, não houve novos ataques, e os ônibus estão circulando”, disse.

Mais Cotidiano