PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Com ventos de 100 km/h, temporal volta com força ao RS e deixa três mortos

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

15/10/2015 11h56

Um grande temporal com vento forte e queda de granizo causou muita destruição entre a noite dessa quarta-feira (14) e a madrugada de hoje no Rio Grande do Sul. As regiões mais afetadas são a metropolitana e a central. Três pessoas morreram --duas soterradas e uma afogada.

A chuva forte, acompanhada de rajadas de até 100 km/h, tomou conta do Estados antes da meia-noite. A tormenta se instalou menos de dois dias após diversas regiões ficarem em alerta devido ao excesso de precipitação da última semana.

Na manhã desta quinta foi possível ver os estragos. Porto Alegre amanheceu com diversos bairros sem luz, semáforos desligados, árvores caídas e muitos pontos de alagamento.

Na zona sul, um poste caiu sobre a estrutura de lonas de uma escola de samba, na zona sul. Cem pessoas estavam no local no momento do incidente. Três tiveram que ser hospitalizadas com ferimentos.

Porém, o caso mais grave aconteceu no bairro Sarandi, na zona norte. Um rapaz de 20 anos foi levado pelas águas ao tentar atravessar um córrego na noite dessa quarta. Seu corpo foi encontrado nesta manhã pelos bombeiros.

Já em Rio Pardo (137 km de Porto Alegre), no Vale do Rio Pardo, uma mulher de 21 anos e seu filho, de três, perderam a vida depois que uma árvore caiu sobre a casa em que eles dormiam, no bairro Jardim Boa Vista.

Sem luz

Em todo Estado, cerca de 700 mil pontos ficaram sem energia. AS concessionárias informam que a luz deve retornar nas próximas horas. Na região metropolitana, grande parte da cidade de Viamão, por exemplo, permanece sem abastecimento elétrico desde a noite de ontem. O mesmo ocorre em Porto Alegre, como no bairro Floresta.

Segundo a CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica), 208 mil clientes estão sem luz em sua área de atuação. Na capital são 135 mil pontos às escuras. Já a empresa AES Sul estima que 400 mil assinantes estão sem energia pelo Estado.

Conforme a Defesa Civil estadual, 60 cidades registram avarias devido ao temporal. São cerca de 50 mil pessoas atingidas. Contando as famílias que ainda não haviam regressado para casa depois das cheias da última semana, 5.000 estão desabrigadas e 4.000 em abrigos municipais.

A previsão do tempo, segundo os meteorologistas, é de que mais tempestades com fortes ventos, chuvas e granizos atinjam o Rio Grande do Sul entre esta quinta-feira e sexta-feira.
 

Cotidiano