PUBLICIDADE
Topo

SBT: Pai de homem que ejaculou dentro do ônibus em SP diz que rapaz deveria ser preso

Do UOL, em São Paulo

31/08/2017 21h33Atualizada em 31/08/2017 22h55

O pai de Diego Ferreira de Novaes, que foi detido na última terça-feira (29) após ejacular no rosto de uma mulher dentro de um ônibus na avenida Paulista, em São Paulo, criticou a decisão da Justiça de soltar o rapaz. A declaração foi dada em entrevista ao Jornal do SBT exibida na noite desta quinta (31).

Segundo o aposentado de 65 anos, que preferiu não mostrar o rosto, Diego é agressivo e pode voltar a cometer delitos. O rapaz já tem 17 passagens pela polícia por crimes sexuais, entre eles estupro e ato obsceno.

"O que deveria ter feito é o juiz prender ele. É perigoso uma pessoa dessa estar solta e o delito que ele pratica não é justo, né?", afirmou o pai de Diego. "Em casa, não posso ficar com ele, porque ele é um cara muito forte. Ele é agressivo, muito agressivo".

O rapaz foi liberado um dia após a detenção. A decisão foi do juiz José Eugênio Souza Neto, do Dipo, no Fórum da Barra Funda.

Na decisão, o juiz analisou que o caso não configurava estupro, mas sim atentado ao pudor –cuja pena, diferentemente do estupro (que prevê reclusão de seis anos), é de multa. A justificativa foi a de que Diego Novaes não teria usado de violência ou de grave ameaça para constranger a vítima.

"Entendo que não houve constrangimento, tampouco violência ou grave ameaça, pois a vítima estava sentada em um banco de ônibus, quando foi surpreendida pela ejaculação do indiciado", diz a decisão, na qual, por outro lado, o juiz pondera que "o ato praticado pelo indiciado é bastante grave, já que se masturbou e ejaculou em ônibus cheio, em cima de uma passageira, que ficou, logicamente, bastante nervosa e traumatizada."

Cotidiano