Topo

Aluno é apreendido e expulso de escola em MT após dar soco em professor

Divulgação
Professor de filosofia foi agredido em sala de aula de escola localizada em Cuiabá Imagem: Divulgação

Bianca Daga

Colaboração para o UOL

13/06/2018 12h01

Um estudante de 16 anos foi apreendido nesta terça-feira (12) para prestar esclarecimentos após ser acusado de dar um soco no rosto de um professor da Escola Estadual Raimundo Pinheiro da Silva, que fica no Jardim Shangri-lá, em Cuiabá (MT). Momentos antes da agressão, o aluno identificado como Cássio havia sido advertido pelo educador após ser flagrado jogando baralho em sala de aula.

Segundo a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), como já havia histórico de comportamento indisciplinar do menor, a gestão escolar tomou a decisão, em último recurso, de expulsar o jovem. Ele será transferido a outra unidade de ensino da capital no Mato Grosso. O professor de filosofia Evandro Aparecido Gasque acionou a polícia após a agressão.

Leia mais:

A Polícia Militar de Mato Grosso enviou uma viatura à escola e um boletim de ocorrência foi registrado pelo professor de 34 anos. O caso aconteceu por volta das 10h30. Segundo o Boletim de Ocorrência, ao qual o UOL teve acesso, o docente estava em aula na sala do 2º ano do Ensino Médio, quando percebeu que alguns alunos estavam jogando baralho.

Gasque pediu que as cartas fossem entregues a eles, mas os estudantes se recusaram. Então, os jovens foram informados de que seriam advertidos. Nesse momento que um dos meninos decidiu entregar o baralho, mas Cássio foi contra.

Depois de ir ao banheiro, o jovem voltou à sala de aula, ameaçou o professor e tentou agredi-lo, sendo contido pelos colegas. O professor saiu da sala, mas o aluno desferiu um chute em Gasque. Na sequência, conseguiu atingir o docente com empurrões e um soco no supercílio direito.

O estudante foi novamente contido pelos colegas e levado à coordenação. Ao chegar à escola, a polícia apreendeu o aluno e o encaminhou à Central de Flagrantes de Cuiabá para registro do caso. Os pais do estudante foram acionados e compareceram à unidade de ensino.

Procurada pela reportagem do UOL, a Escola Estadual Raimundo Pinheiro da Silva confirmou o ocorrido. O professor Evandro Aparecido Gasque não esteve na unidade de ensino nesta quarta-feira (13).

Em nota, a Seduc “lamenta o ocorrido e destaca que está acompanhando o andamento das investigações e dando suporte ao servidor e à família do estudante” e ressalta que “sempre atuou para promover a Cultura de Paz nas unidades escolares da rede estadual de ensino".