PUBLICIDADE
Topo

Avó é presa suspeita de estuprar netos e filmar abusos no DF

Crianças que teriam sido abusadas pela avó têm entre um e seis anos - Silva Júnior/Folha Imagem
Crianças que teriam sido abusadas pela avó têm entre um e seis anos Imagem: Silva Júnior/Folha Imagem

Olga Bagatini

Colaboração para o UOL

23/10/2018 18h53

Uma mulher de 53 anos foi presa em flagrante na última sexta-feira (20) em Ceilândia, no Distrito Federal, suspeita de ter abusado sexualmente de seus quatro netos e armazenado pornografia infantil. Seguindo uma denúncia feita pela mãe das crianças, a Polícia Civil encontrou vídeos dos abusos no celular da avó, que teriam sido gravados pela dona do aparelho.

As três meninas mais novas têm um, dois e quatro anos, e o mais velho é um menino de seis anos. De acordo com policiais da 19ª DP de Ceilândia, onde foi registrado o caso, a avó cometeu diversos abusos contra os netos. "Em 25 anos de polícia, eu nunca havia me deparado com cenas tão chocantes", disse o delegado Fernando Fernandes.

Os abusos teriam começado há cerca de dois meses, quando a mãe das crianças arrumou um emprego e deixou a avó tomando conta dos quatro durante o dia. Porém, segundo a polícia, o menino e a menina mais velha passaram a se comportar de modo "erotizado", o que despertou a desconfiança da mãe.

Ao ver o filho acariciar suas partes íntimas, ela questionou o garoto, que respondeu que havia aprendido aquilo "com a vovó". Na semana passada, a mãe decidiu investigar a suspeita e encontrou fotos e vídeos dos abusos e acionou a Polícia Civil.

A avó foi presa em flagrante por estupro de vulnerável e por possuir pornografia infantil e levada à Penitenciária Feminina (Colmeia). Se a autoria dos crimes forem comprovadas, ela pode pegar até 60 anos de prisão. 

A Polícia também investiga se a suspeita compartilhou os vídeos e se ela estaria envolvida em alguma rede nacional ou internacional de pedofilia. "A princípio, trabalhamos com a hipótese de abuso familiar. Não há qualquer evidência de que ela teria estuprado outras crianças, mas alertamos a população para denunciar ao 197 se tiver qualquer informação", informou o delegado.

Filha também se diz vítima

Hoje com 17 anos, a filha mais nova da suspeita disse à Polícia Civil que também foi vítima de abusos por parte da mãe. A adolescente afirmou que, na infância, teria visto a mãe observando ou filmando ela tomando banho em "diversas oportunidades".

Segundo o delegado, logo depois de fazer a denúncia, a jovem "se retraiu, ficou nervosa e parou de falar", mas deve ser ouvida novamente em breve pelos investigadores.

Cotidiano