Topo

Alemão: moradores relatam tiros de helicópteros; polícia apreende drogas

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

2019-03-08T12:32:31

2019-03-08T15:42:11

08/03/2019 12h32Atualizada em 08/03/2019 15h42

Resumo da notícia

  • Moradores do Alemão relataram que helicópteros atiraram sobre as comunidades
  • Polícia Civil diz ter resgatado um caminhão com drogas vindo do Paraguai
  • A polícia diz que houve confrontos e não comentou os relatos de uso dos helicópteros

Moradores do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, foram surpreendidos na manhã de hoje por um intenso tiroteio no conjunto de favelas. Ao menos dois helicópteros policiais sobrevoaram as comunidades e, segundo moradores, tiros foram disparados do alto. A Polícia Civil diz que agentes foram recebidos a tiros ao recuperar um caminhão com cerca de duas toneladas de maconha vindo do Paraguai --a droga está avaliada em R$ 4 milhões, segundo a instituição-- e ainda não comentou os relatos dos moradores sobre o uso dos helicópteros.

"Um dos helicópteros passou disparando e causando terror em algumas pessoas", disse o Coletivo Papo Reto em postagem no Facebook. A plataforma OTT (Onde Tem Tiroteio) informou que os disparos estão sendo registrados desde as 6h.

Segundo a Polícia Civil, a operação ocorreu devido à interceptação do caminhão. Os policiais relataram que foram recebidos a tiros durante o resgate do veículo. A ação contou com homens da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis, Core (Coordenadoria de Recursos Especiais) e Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas. A instituição disse que o entorpecente está sendo contabilizado e não informou se houve prisões.

Já a Polícia Militar disse que um tiroteio começou quando policiais da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) Fazendinha foram surpreendidos por criminosos armados durante patrulhamento na comunidade. Até o momento não há registro de feridos.

Segundo os moradores, os tiros estão concentrados na localidade da Fazendinha e um helicóptero também sobrevoa o Morro do Adeus, vizinho ao Alemão. Há também informações do uso de um blindado na comunidade.

Nas redes sociais, moradores relatam medo. "Helicóptero tão baixo que tremeu tudo aqui em casa achei que tava caindo aqui", afirmou uma moradora do complexo de favelas.

"Deitei no chão com as crianças", disse outra moradora na página do Facebook Voz das Comunidades. "Também achei prima que o prédio estava caindo e saí correndo de casa", respondeu uma parente.

Ação com helicóptero deixou 6 mortos

Em junho do ano passado, um adolescente foi morto em uma operação da Polícia Civil no Complexo de Favelas da Maré, também na zona norte da cidade. Marcus Vinícius, 14, foi morto com um tiro nas costas feito do chão. O estudante estava uniformizado e a caminho da escola quando foi atingido. Ele foi socorrido, mas não resistiu.

A operação contou com o uso de um helicóptero blindado conhecido como "caveirão voador" e, na ocasião, moradores também denunciaram o uso dele para disparos do alto em direção à favela, o que gerou críticas de entidades de direitos humanos.

A operação tinha como objetivo cumprir 23 mandados de prisão. No entanto, ninguém foi preso e seis suspeitos morreram.

Mais Cotidiano