Topo

Amiga armou emboscada contra jovem estuprada e enterrada viva, diz polícia

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

14/06/2019 18h33

A Polícia Civil identificou um adolescente suspeito de estuprar e enterrar viva na areia da praia do Bosque, em Rio das Ostras, litoral do Rio de Janeiro, uma jovem de 17 anos que está grávida. A menina, que sobreviveu e conseguiu sair do local em busca de ajuda, disse em depoimento informal a policiais que uma amiga a levou até o encontro do agressor. O crime ocorreu na madrugada da última terça-feira (11).

"Essa menina [amiga da vítima] a levou para uma festa. Ela já sabia das intenções do rapaz de cometer o crime. Ela armou uma emboscada para a vítima. Ela deu um depoimento longo e muito contraditório, mas acabou confessando", disse o delegado assistente da 128ª DP, Carmelo Santalucia, responsável pela investigação.

A adolescente já foi apresentada ao Ministério Público e está apreendida. Ela contou à polícia que colaborou com o crime por sentir ciúmes da vítima e do rapaz. Segundo a polícia, a vítima e o suspeito tinham um relacionamento, mas não eram namorados.

A Polícia Civil obteve na Justiça um mandado de busca e apreensão contra o suspeito, que também tem 17 anos --até as 17h, ele continuava foragido. "A mãe do rapaz prometeu que ia entregá-lo, mas até agora nada. O jovem desapareceu e já é considerado foragido. A mãe também não foi mais localizada", afirmou o delegado.

A polícia investiga também a participação de outros dois adolescentes no crime.

De acordo com Santalucia, a vítima foi agredida com um pedaço de madeira na cabeça e apresenta hematomas de estrangulamento. Ela foi enterrada após desmaiar, mas recuperou os sentidos. Um pedestre que passava pelo local, às 4h, ajudou a adolescente.

A vítima foi levada para um hospital municipal da região, onde "passou por exames médicos que confirmaram a gravidez e também foi medicada para prevenção de DSTs (doenças sexualmente transmissíveis)". Ela está internada em observação no hospital e seu estado de saúde é considerado estável.

De acordo ainda com Santalucia, o depoimento da jovem ainda não foi colhido oficialmente devido à internação --a polícia aguarda a recuperação da vítima.

Entretanto, a vítima relatou informalmente aos investigadores que chegou a arrancar um pedaço do dedo do suspeito ao dar uma mordida na tentativa de se defender das agressões.

Ainda não há informações sobre o tempo gestacional da adolescente tampouco o que motivou o rapaz a cometer o estupro e as agressões. "Acredito que esteja bem no início da gravidez, pois não conseguimos perceber. O hospital confirmou a gestação através de exame", disse o delegado.

Cotidiano