Topo

Witzel: Presídio em Volta Redonda abrigaria desertores do tráfico de armas

Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, fala a jornalistas em Salvador - UOL
Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, fala a jornalistas em Salvador Imagem: UOL

Eduardo Militão

Do UOL, em Salvador

21/08/2019 21h39

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), disse hoje em Salvador (BA) que um presídio em Volta Redonda (RJ) está separado para receber criminosos que queiram deixar o tráfico de armas.

Ele afirmou que, depois da morte do sequestrador na Ponte Rio-Niterói, foi procurado por igrejas e movimentos sociais querendo encaminhar pessoas que desejam deixar a criminalidade.

O governador afirmou que eles poderiam ficar separados dos outros se fizerem confissões simples ou colaboração premiada, quando também denunciam outros criminosos.

Witzel participou hoje em Salvador do 4º Simpósio Nacional de Combate à Corrupção, organizado pela Associação dos Delegados da Policia Federal (ADPF).

Comportamento após sequestro

O governador também voltou a dizer que não comemorou a morte do jovem ontem depois do sequestro de um ônibus. "Vamos deixar bem claro: ninguém comemora a morte de ninguém", enfatizou Witzel.

"No momento que eu cheguei ali, a população já estava na ponte havia várias horas, um governante que chega no local e é recebido pela população com entusiasmo, porque as vidas dos reféns foram salvas, eu realmente não pude me conter, de ali, com a população, naquele momento, nós nos congraçarmos pelo desfecho da situação."

Ele disse ainda que houve apoio à família do rapaz morto. "Então, é nesse sentido que tem que ser olhado. Nós estamos dando todo o apoio à família do sequestrador."

Mais Cotidiano