Topo

O que é um sniper e como ele se prepara para ações táticas no Rio

20.ago.2019 - Atirador posicionado durante sequestro de ônibus com reféns na Ponte Rio-Niterói - Ricardo Cassiano/Estadão Conteúdo
20.ago.2019 - Atirador posicionado durante sequestro de ônibus com reféns na Ponte Rio-Niterói Imagem: Ricardo Cassiano/Estadão Conteúdo

Marina Lang

Colaboração para o UOL, no Rio

20/08/2019 19h29

O sequestro de um ônibus com 39 reféns na Ponte Rio-Niterói na manhã de hoje terminou após um sniper (atirador de elite) do Bope (Batalhão de Operações Especiais) da Polícia Militar do Rio matar o sequestrador Willian Augusto da Silva, de 20 anos.

Mas, afinal, o que é um sniper? Ex-capitão do Bope e consultor do filme Tropa de Elite, o especialista em segurança pública Paulo Storani resume: "É um atirador de precisão, um profissional que atua dentro de um time tático para solução de crises, geralmente com reféns, mas também em outros tipos de situação. Nos casos que envolvam reféns, sempre é utilizado como alternativa tática, de acordo com o protocolo internacional".

Todas as forças de segurança têm unidades com snipers --caso do COT (Comando de Operações Táticas) da Polícia Federal ou mesmo do Exército brasileiro, por exemplo.

No Rio de Janeiro, os snipers da PM também atuam como protetores da tropa em locais de risco, acrescenta Storani.

Procurada pela reportagem, a PM do Rio não informou quantos snipers há na tropa. De acordo com o especialista em segurança, na PM, os atiradores de precisão atuam apenas no Bope. Já a Polícia Civil do Rio declarou ao UOL que não informa esse tipo de dado.

Storani acrescenta que há requisitos para ser um sniper que vão além da precisão na linha de tiro.

"Primeiramente, é preciso ter uma condição física e psicológica acima da média em razão do estresse a que ele vai ser submetido. Além da proficiência do tiro, é preciso ser veterano na força policial, com tempo de serviço proporcional a pelo menos dez anos de serviço como policial. Outro requisito é que seja casado, sem vícios e com filhos", explicou.

"Porque aquele que é pai, tem filhos e é casado tem relações de compromisso e vai ter isso como valor na hora de atirar ou não quando receber o comando. Ele não é uma máquina de atirar; ele tem valores que serão comparados na hora em que ele receber a ordem. Ou seja, ele contrasta valores com situação; é uma ponderação a fim de valorizar a vida, porque o sniper, na essência, é um tomador de vidas", afirmou Storani.

Meditação e esportes radicais

Além do preparo "muito duro" --que, de acordo com o ex-capitão do Bope, é baseado em treinamento contínuo, diário e constante--, um atirador de elite recebe acompanhamento psicológico da corporação.

"Muitos fazem meditação para desenvolver uma atenção concentrada e diferente da maioria das pessoas. Outros praticam esportes radicais para manter o nível de adrenalina controlado durante uma ação ou operação", aponta Storani.

O posicionamento de um sniper durante uma ação é fundamentalmente baseado na busca pelo melhor ângulo em que se possa observar todo o entorno do local, afirma ele. Além disso, o vestuário de um atirador de precisão sempre é baseado em roupas que chamem menos atenção possível.

"No geral, snipers usam o fuzil 762, com características e acessórios voltados para essa situação. Há um modelo de luneta chamado Leopold, que é um dos melhores para isso. Mas existem outros modelos muito bons e que são customizáveis pelos acessórios", diz Storani.

Mais Cotidiano