Topo

Fiscais resgatam 18 trabalhadores em condição de escravidão no Pará

Trabalhadores não tinham acesso à água potável - Silva Junior/Folhapress
Trabalhadores não tinham acesso à água potável Imagem: Silva Junior/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

23/09/2019 14h25

Uma operação do Grupo Especial de Fiscalização Móvel (GEFM) do Ministério da Economia resgatou 18 trabalhadores que estavam em condição análoga à escravidão em duas fazendas, na cidade de Uruará, região de Altamira, no Pará.

Membros da Defensoria Pública da União e da Polícia Federal também participaram da ação que aconteceu entre os dias 10 e 19 de setembro.

Oito trabalhadores foram encontrados na primeira fazenda, sendo que sete dormiam em barracos de lona e o oitavo estava instalado em um depósito, dormindo ao lado de ração animal, bombas de aplicação de agrotóxico e larvicida.

Já na segunda fazenda, havia 10 pessoas que trabalhavam na lavoura e cuidavam do rebanho. Metade vivia em um alojamento coletivo enquanto os outros cinco dividiam dois barracos de lona.

Segundo o coordenador da operação, o auditor-fiscal do Trabalho André Dourado, nos dois casos os trabalhadores não tinham acesso à água potável, água limpa para higiene, preparo de alimentos e demais necessidades, e instalações sanitárias. Também não havia local adequado para preparo, consumo e conservação de refeições e os salários eram pagos fora do prazo legal.

Os dois empregadores fizeram um acordo para pagar as indenizações trabalhistas e por danos morais.

Enquanto isso, os trabalhadores foram afastados das fazendas e receberão Seguro-Desemprego especial para pessoas resgatadas nessas condições.

Cotidiano