PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro: Regina questionou chance de Cultura voltar a ser ministério

Presidente também adiantou que deve confirmar a nomeação da atriz assim que voltar de sua viagem à Índia - Reprodução/Instagram
Presidente também adiantou que deve confirmar a nomeação da atriz assim que voltar de sua viagem à Índia Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

24/01/2020 21h16

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) admitiu que a atriz Regina Duarte, convidada para substituir Roberto Alvim na Secretaria Especial da Cultura, questionou a possibilidade de a pasta virar um ministério. Bolsonaro também adiantou que deve confirmar a nomeação de Regina assim que voltar de sua viagem à Índia.

"Devemos, na minha volta, nomeá-la à frente da Secretaria da Cultura. Confio no seu trabalho, a tratei como se fosse uma ministra", disse o presidente em entrevista à TV Bandeirantes. "Ela até falou: 'Não dá para ser um ministério?'", acrescentou.

O presidente disse que a política de seu governo é de não criar ministérios, mas deixou a possibilidade em aberto. "Nós vamos perder um ministério agora, o Banco Central, que vai se tornar independente. Então, quem sabe? Desde que haja um apoio da sociedade...", afirmou.

Bolsonaro, na verdade, se referia ao projeto de autonomia do Banco Central, que deve ser votado na Câmara dos Deputados nos próximos meses. A proposta estabelece, entre outros pontos, regras para o mandato dos presidentes e diretores da autarquia e não cita um eventual desligamento do banco da alçada do Ministério da Economia.

Cotidiano