PUBLICIDADE
Topo

PM é afastado na Paraíba após criticar "vagabundos" que estão de quarentena

Colaboração para o UOL, em João Pessoa

08/04/2020 12h29

Um policial militar da Paraíba foi afastado de suas atividades após divulgar um vídeo defendendo o fim do isolamento social, contrariando assim recomendação do governo da Paraíba e também do Ministério da Saúde. A identidade dele não foi revelada.

O caso ocorreu no município de Guarabira, a 110 km de João Pessoa, e ganhou grande repercussão nas redes sociais. A Paraíba registra quatro mortes e 36 casos oficiais por covid-19, de acordo com balanço do Ministério da Saúde divulgado ontem. No Brasil, são 667 mortes e 13.717 casos oficiais.

No vídeo, o policial está fardado e defende que a população volte às ruas. Ele alega que passou no hospital da cidade e verificou que não tem ninguém sendo atendido ou contaminado, o que seria um sinal que não há motivo para alvoroço ou pânico.

"O que a gente tem que fazer é voltar a trabalhar e proteger as pessoas idosas e as pessoas com problemas respiratórios. Vamos deixar de ser vagabundo e começar a trabalhar. Esse negocinho de ficar em casa, de férias, não existe, não tem condições. Vai terminar o país quebrando e a gente passando fome", relata o policial.

Ele aparece ao lado de outros colegas de profissão, todos fardados, dentro de um carro, mas não é possível afirmar que seja da polícia. No vídeo, ele também responsabiliza a esquerda pelo momento atual.

"Fome é o que a esquerda quer, que a gente passe fome, passe necessidade. Vamos deixar de conversa, os hospitais estão todos vazios, se tem uma pandemia era para não conseguir nem entrar", diz o policial, que não foi localizado para dar a sua versão sobre os fatos. A reportagem também não localizou nenhum advogado para uma possível defesa do policial.

Em nota, a Polícia Militar, através do 4º Batalhão, informou o afastamento do policial e explicou que ele vai passar por procedimento administrativo disciplinar. "O comando ressalta que essa não é a orientação da Polícia Militar da Paraíba, que segue a orientação técnica da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde e do Governo do Estado, de que é fundamental que as pessoas fiquem em casa para prevenir a proliferação dessa doença que tem causado danos irreparáveis à saúde de pessoas no Brasil e no mundo", afirma.

Medidas adotadas na Paraíba

Assim como em outros estados do país, o governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), prorrogou as medidas restritivas que visam conter a disseminação do novo coronavírus. Através de decreto, decidiu manter o fechamento de academias, ginásios, centros esportivos públicos e privados, shoppings, centros e galerias comerciais, bares, restaurantes, casas de festas, casas noturnas, boates e atividades comerciais não essenciais.

O decreto se estende a cinemas, teatros, circos, parques de diversão e embarcações turísticas de esporte e lazer em todo o litoral paraibano. A suspensão das atividades prossegue, pelo menos, até o dia 19 de abril.

O último boletim epidemiológico divulgado ontem pela Secretaria Estadual de Saúde indica que 20 mortes estão sendo investigadas para saber se foram causadas pelo novo coronavírus.

Coronavírus