PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
5 meses

Segurança dá gravata em artista de rua: 'Cheguei a ficar sem ar'

Tatiana Campbel

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

07/11/2020 17h15Atualizada em 07/11/2020 19h17

Um artista de rua foi imobilizado e enforcado por um segurança dentro do metrô que passava por bairros da Zona Sul do Rio de Janeiro. As imagens, obtidas pelo UOL, foram gravadas por Pedro Aquino, 29, que já conhecia os trabalhos do rapper desde 2017. No início do vídeo já é possível ver o segurança do metrô dando uma 'gravata' no pescoço do artista. Em alguns momentos o rosto do artista chega a mudar de cor e dá para notar a expressão de dor no rosto do rapper. Além disso, muitas pessoas gritam pedindo para que ele fosse solto e usam celulares para registrar o caso.

O artista é conhecido como MC Japonay. Ao UOL, ele contou que por alguns momentos chegou a ficar sem ar:

"O segurança até chegou educado e pedindo para para eu parar, só que como eu perguntei 'como assim? vai me retirar?', ele já mudou o tom e começou a vir de forma truculenta. Eu perguntei 'pra que isso?' e continuei fazendo meu trabalho. Nisso que eu virei as costas, ele já puxou minha mochila e me enforcou. Eu cheguei a ficar sem ar, ele pressionou muito forte meu pescoço. Foi desesperador. Ainda bem que tinham essas pessoas lá que gritaram e filmaram. Gostaria de agradecer a todo mundo a preocupação de todos. Eu estou bem. Se não fosse o Pedro que fez barulho com o outro pessoal, eu estaria apagado até agora", disse o rapper.

"Processo contra o MetrôRio vai ter, mas eu, o artista, não vou prestar queixa diretamente contra o segurança. Foi errado a forma como ele agiu, mas os culpados são os superiores, não ele. Ele tem família, ele precisa trabalhar. A justiça vai ser feita e não vamos parar, vou continuar trabalhando. A arte não pode parar nunca. Agora, hoje por exemplo, eu estou trabalhando e já ouvi seguranças falando 'a lá, é aquele menino que saiu na mídia', eu estou sentindo que estão me olhando mais. Eu vou ficar de olho nos próximos dias, porque podem fazer alguma covardia, nunca se sabe" completou Japonay.

MC Japonay - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
MC Japonay, artista de rua agredido por seguranças do metroRio
Imagem: Arquivo Pessoal

Ajuda de passageiros

Quando Japonay foi imobilizado diversos passageiros começaram a gritar pedindo para que os seguranças fossem soltos. O ator Pedro Aquino conversou com o UOL e disse que estava seguindo para o trabalho quando notou uma movimentação vindo do vagão ao lado. Quando percebeu do que se tratava, não pensou duas vezes e começou a filmar a agressão:

"Eu estava no vagão ao lado e comecei a ouvir pessoas gritando 'solta ele, solta ele. Ele só está trabalhando, solta!' e fui ver o que era. Eu pego o metrô diariamente desde 2017 e já conhecia o trabalho do Ricky nos vagões. Aí, quando eu vi que era ele que estava sendo enforcado, peguei meu celular e comecei a filmar e tentar intervir de alguma maneira. Foi muito doloroso assistir tudo aquilo, até porque eu também sou ator, e poderia ser eu no lugar dele manifestando minha arte e sendo enforcado por isso", disse Pedro.

"Absurdo demais, é uma brutalidade gratuita. A gente saiu do vagão e ele ainda ficou no mata leão, saímos eu e três mulheres apenas. Vivemos nesse país machista onde os machos se sentem os poderosos. Eu subi com ele até a escada rolante que dá acesso a roleta e consegui pegar o nome dele completo. Não podemos nos esconder jamais, faria e farei mil vezes mais se for necessário. É judaria atrás de judaria", completou o ator.

O que diz o MetrôRio

O MetrôRio disse que o caso está sendo apurado internamente para as devidas providências e que a concessionária não admite qualquer ação violenta por parte dos seus colaboradores.

Ainda segundo a empresa, a confusão começou após um cliente, que estava fazendo apresentação no interior do trem, se recusar a encerrar a atividade e a usar máscara. Ele foi orientado sobre a legislação vigente, bem como quanto as decisões do Poder Judiciário, que proíbem apresentações artísticas no interior dos trens, e também sobre a obrigatoriedade do uso da peça de proteção, conforme determina a lei.

O MetrôRio informou ainda que, como apoio às manifestações culturais, a concessionária mantém o Palco Carioca, que, por causa da pandemia, ganhou uma versão online, no Facebook do MetrôRio. Durante a apresentação, o artista pode fazer uma 'vaquinha' e arrecadar dinheiro.

Cotidiano