PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

Em apagão no AP, jovem dorme com gerador de energia ligado e é achado morto

Jehoash Vitor foi encontrado morto no local de trabalho - Arquivo Pessoal
Jehoash Vitor foi encontrado morto no local de trabalho Imagem: Arquivo Pessoal

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

11/11/2020 11h33

A Polícia Civil do Amapá investiga a morte do técnico em informática Jehoash Vitor Monteiro, de 24 anos, encontrado morto em 6 de novembro, em Porto Grande, a 102 quilômetros de Macapá. A suspeita é de asfixia por inalação de gás expelido de um gerador de energia enquanto dormia na empresa onde trabalhava.

De acordo com a Polícia Civil, testemunhas contaram que a vítima procurou o espaço na madrugada de 6 de novembro para ter energia com o gerador movido a óleo diesel, já que a cidade estava sem eletricidade por causa do apagão que atinge o Amapá desde 3 de novembro.

A empresa onde Jehoash trabalhava fornece internet banda larga em Porto Grande. Ele era o supervisor do serviço na cidade e tinha acesso ao imóvel.

A suspeita da inalação de gás de monóxido de carbono também é sustentada por não haver indícios de violência no corpo da vítima, conforme análise preliminar da perícia. O imóvel também não tinha sinais de arrombamento. O cadáver foi encontrado após um funcionário da empresa chegar para trabalhar. Jehoash estava com o gerador em uma sala sem entradas de ventilação.

Jovem teria inalado gás expelido por gerador de energia - Divulgação/Polícia Civil - Divulgação/Polícia Civil
Jovem teria inalado gás expelido por gerador de energia
Imagem: Divulgação/Polícia Civil

"Ele foi encontrado morto pela manhã durante este apagão. Acionamos a perícia e verificamos que o gerador estava dentro da sala. A informação colhida é de que procurou o espaço para dormir, provavelmente dormindo inalando o gás. Quem vai confirmar é a perícia", comentou o delegado Bruno Braz, de Porto Grande.

A princípio, segundo a Polícia Civil, Jehoash não estava no horário de expediente. A investigação quer saber se a empresa cometeu alguma conduta criminosa que resultou na morte do jovem. Funcionários do provedor de internet serão ouvidos ao longo desta semana.

Em nota, a empresa Webflash informou que "as circunstâncias do falecimento do colaborador Jehoash Vítor Monteiro estão sendo apuradas pela Polícia Civil, que dará as respostas sobre o ocorrido" e que "informações não oficiais atentam contra o sentimento da família e dos colegas de trabalho".

"A empresa informa ainda que vem prestando todo apoio à família do colaborador e lamenta profundamente a sua perda, solidarizando-se com seus familiares e amigos", concluiu.

Cotidiano