PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

AM: presidente do Boi Caprichoso é preso suspeito de fraudar licitação

Jender Lobato é presidente do boi-bumbá Caprichoso - Reprodução/Facebook
Jender Lobato é presidente do boi-bumbá Caprichoso Imagem: Reprodução/Facebook

Bruna Chagas

Colaboração para o UOL, em Manaus (AM)

23/11/2020 16h25

O presidente da agremiação Boi-Bumbá Caprichoso, que desfila no tradicional Festival Folclórico de Parintins, foi preso na manhã de hoje durante uma operação da Polícia Federal em Manaus (AM). Jender Lobato é suspeito de fraudar uma licitação para o fornecimento de transporte escolar em Presidente Figueiredo, distante a 126 quilômetros da capital.

Foram cumpridos quatro mandados de prisão e sete de busca e apreensão. Também foram presos: Sérgio Vianna, de 74 anos, pai do deputado estadual Saullo Vianna e e ex-presidente do Movimento Marujada, do Boi Caprichoso; Rosedilce de Souza Dantas, sócia da empresa de Saullo; e Udsom Maranhão Duarte, engenheiro e funcionário da prefeitura de Presidente Figueiredo.

O deputado Saulo Vianna também é alvo dessa operação, mas possui foro privilegiado. Porém, a ex-esposa dele foi ouvida, mas não foi detida e a polícia foi na casa dela cumprir mandados de busca e apreensão.

De acordo com as investigações da PF, duas empresas concorreram a uma licitação da Prefeitura de Presidente Figueiredo, no ano de 2017, para fornecimento de transporte escolar, mas uma delas cobriu a proposta da outra, com o intuito de dar aparência de legitimidade na concorrência.

Jender era o presidente da Comissão de Licitação de Presidente Figueiredo, na época, e teria beneficiado a empresa de Saullo. Os suspeitos operavam um esquema de corrupção que fraudou esse processo licitatório para fornecer transporte escolar ao município e superfaturaram o contrato arrecadando mais de R$ 4 milhões.

Conforme a operação, que recebeu o nome de "Ponto de Parada", o laudo técnico da perícia apontou diversos itens que restringiam o caráter competitivo da licitação. Além disso, a polícia constatou que a empresa vencedora subcontratou, de maneira integral, os serviços de transporte escolar.

Segundo a PF, a empresa teria recebido R$ 13 milhões e gerou um sobrepreço no serviço de aproximadamente R$ 4 milhões. A polícia ainda identificou que o grupo investigado realizou saques e movimentações de elevadas quantias em dinheiro para encobrir os lucros irregulares.

Os indiciados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de fraude à licitação, peculato, associação criminosa e lavagem de dinheiro. Se condenados, poderão cumprir pena de até 30 anos de reclusão.

Deputado Saullo Vianna se pronuncia

O deputado Saullo Vianna se manifestou hoje cedo por meio do seu Facebook. Ele disse que está à disposição das autoridades para colaborar no trabalho de investigação sobre as denúncias relacionadas a licitações em Presidente Figueiredo, em 2017.?

"Meu trabalho como parlamentar desde 2019, quando assumi o cargo, inclusive, é fiscalizar a aplicação de recursos públicos e sou muito cioso com essa função. Vou procurar me inteirar dos autos para entender o envolvimento do meu nome nessa acusação para que eu transmita as informações necessárias e de forma transparente, como sempre faço, para a sociedade. Continuo firme no meu trabalho de servir ao Amazonas".

Nota do Caprichoso

A diretoria do Caprichoso afirmou que acompanha as investigações para poder se pronunciar a respeito e diz que, até o momento, não há nenhuma acusação formal contra o seu presidente.

"A Associação Cultural Boi-Bumbá Caprichoso aguarda o transcorrer das investigações, pois até o presente momento não existe nenhuma acusação formal feita contra o presidente Jender Lobato e nem contra o ex-vice presidente Sérgio Viana", disse.

"Conforme dispõe nossa Constituição Federal, ninguém será considerado culpado enquanto não houver decisão definitiva da Justiça, devendo se resguardar o contraditório, ampla defesa e o devido processo legal. Considerando que se trata de uma investigação recém-iniciada, não é possível se concluir nada, reafirmando-se a total confiança no Poder Judiciário e que, ao final, tudo será devidamente esclarecido."

Cotidiano