PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Polícia indicia 10 pessoas por morte de jovem em festival de funk no Rio

Estudante de odontologia, de 20 anos, Maria Fernanda Ferreira de Lima morreu após ter recebido choque durante um festival de funk no Terreirão do Samba, no centro do Rio de Janeiro - Reprodução
Estudante de odontologia, de 20 anos, Maria Fernanda Ferreira de Lima morreu após ter recebido choque durante um festival de funk no Terreirão do Samba, no centro do Rio de Janeiro Imagem: Reprodução

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

03/12/2020 15h27

A Polícia Civil indiciou 10 pessoas por homicídio culposo — quando não há a intenção de matar — por envolvimento no inquérito que investigava a morte da estudante Maria Fernanda Ferreira de Lima, 20, após a menina ter sido eletrocutada durante evento no Terreirão do Samba, no centro do Rio de Janeiro.

A jovem estava com alguns amigos quando encostou em uma barra de metal energizada e recebeu a descarga elétrica. O caso aconteceu em abril de 2019.

Ao UOL, o delegado responsável pelas investigações da morte da estudante, Túlio Pelosi, disse que o caso foi "remetido ao Promotor e à Justiça" e que "o inquérito possui mais de seis laudos técnicos e quase 30 pessoas [peritos e testemunhas] ouvidas".

De acordo com a Polícia Civil, como resultado de 19 meses de investigação, foram responsabilizados pelo crime: dois sócios da empresa que organizou o evento, quatro parceiros comerciais, um funcionário da Prefeitura do Rio, o proprietário de uma empresa que instalou placas de metal no local, um homem contratado por esta empresa para a instalação e um brigadista.

Relembre o caso

A morte de Maria Fernanda aconteceu na madrugada do dia 14 de abril de 2019, por volta das 4h. No local, aconteciam apresentações de DJs de funk. A estudante estava acompanhada de alguns amigos. Em um determinado momento, a jovem encostou em uma barra de metal energizada e levou o choque.

Maria Fernanda chegou a ser socorrida por equipes médicas que estavam de plantão no evento para o Hospital Municipal Souza Aguiar, que fica próximo ao Terreirão, mas não resistiu e morreu na unidade de saúde após sofrer quatro paradas cardíacas.

Estudante do 1º período de Odontologia da Universidade Veiga de Almeida (UVA), a jovem era a caçula de uma família com quatro irmãs.

O evento foi organizado pela Puff Puff Bass e realizado com autorização da Secretaria Municipal de Cultura. Na época, a empresa lamentou a morte da jovem.

Cotidiano