PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

Mandante de crime bárbaro contra o marido em GO é presa após 20 anos em MG

Maria das Graças Pereira Figueiredo contratou dois comparsas para o crime, que chegou a ser exibido em programa policial da Rede Globo - Reprodução
Maria das Graças Pereira Figueiredo contratou dois comparsas para o crime, que chegou a ser exibido em programa policial da Rede Globo Imagem: Reprodução

Felipe Munhoz

Colaboração para o UOL, em Lençóis (BA)

09/12/2020 19h44

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu ontem, em Poços de Caldas (MG), uma idosa de 67 anos acusada de ser mandante de um crime bárbaro contra o marido, cometido em 2000, na Cidade Ocidental (GO).

Segundo as informações da polícia, Maria das Graças Pereira Figueiredo, então funcionária do Ministério da Fazenda, é autora intelectual do homicídio qualificado contra o marido Odovaldo Machado Figueiredo, que tinha 45 anos e era Diretor do Sindicato dos Rodoviários, supostamente para receber os valores de um seguro. O caso teve grande repercussão na época e foi tema do programa policial Linha Direta, da Rede Globo.

A reportagem não conseguiu encontrar a defesa da acusada até o momento da publicação.

"Para a execução do crime, Maria das Graças contou com a participação de outras duas pessoas, um maior e um menor de idade, que durante a execução, desferiram mais de 20 golpes [de canivete] contra a vítima, além de um disparo de arma de fogo", disse o delegado Amarildo Fernandes, diretor da Divisão de Capturas e Polícia Interestadual (DCPI).

Maria das Graças chegou a ser presa temporariamente no início das investigações, mas foi solta e, logo em seguida, fugiu do Distrito Federal, onde tinha residência registrada. A condenação da Justiça de Goiás só aconteceu em 2009 e, a partir de então, ela foi considerada foragida, sendo encontrada agora a cerca de 900 km de distância do DF.

"Nos últimos meses, nossa equipe da Polícia Civil empreendeu diligências tentando localizar a autora e, ontem, ela foi localizada em um apartamento na cidade de Poços de Caldas. Ela confirmou que estava ali residindo e tentando escapar da polícia porque sabia que, de fato, existia contra ela um mandado de prisão condenatório expedido pelo juízo de Goiás", detalhou Fernandes, que disse ainda que ela morava no local com a filha, o genro e a neta.

A Polícia Civil informou que, após a prisão, a indiciada foi apresentada no presídio feminino da região, onde aguardava o deslocamento para o Sistema Penitenciário do Distrito Federal.

Cotidiano