PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Mesmo com alta dos casos da covid, áreas de lazer da orla do Rio reabrem

A movimentação nas orlas do Rio de Janeiro voltaram a cresce após o decreto que liberou a circulação na área - GABRIEL BASTOS/ESTADÃO CONTEÚDO
A movimentação nas orlas do Rio de Janeiro voltaram a cresce após o decreto que liberou a circulação na área Imagem: GABRIEL BASTOS/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

17/01/2021 15h50Atualizada em 17/01/2021 16h05

As áreas de lazer e atividades físicas da orla do Rio de Janeiro foram reabertas na manhã de hoje. Calçadão, pista e faixa de areia foram liberados mesmo com a alta do número de casos da covid-19 no município, na altura das avenidas Delfim Moreira, Vieira Souto e Atlântica. Os dois sentidos do Aterro do Flamengo foram fechados para o trânsito.

O último boletim epidemiológico do Rio de Janeiro, divulgado na última sexta-feira (15) apontava que mais dez regiões da cidade passaram para a lista de alto risco para a covid-19, totalizando 28 regiões em alerta.

A prefeitura do Rio de Janeiro informou que mais de 200 agentes foram deslocados para a região com o intuito de orientar banhistas e frequentadores sobre as regras de proteção contra o coronavírus. Os secretários municipais de Saúde, Daniel Soranz, e de Assistência Social, Laura Carneiro, e a subprefeita da Zona Sul, Ana Ribeiro, também estiveram na ação. A prefeitura chegou a distribuir máscaras para os pedestres e banhistas que não estavam utilizando.

Para o secretário Daniel Soranz, a atividade física em locais abertos como a orla do Rio é algo positivo e que o risco de transmissão é baixo, desde que sejam respeitadas as medidas de proteção à vida. "Se não houver respeito às regras e acontecerem aglomerações, infelizmente a Prefeitura vai ser obrigada a fechar as áreas de lazer novamente", disse.

Também foram estabelecidas regras específicas para reduzir aglomerações nos locais de prova. Os portões foram abertos às 11h30, no horário de Brasília, 30 minutos antes do previsto nos editais. Os protocolos relacionados à covid-19 haviam sido definidos em conjunto pelo Inep e as empresas contratadas para a aplicação do exame, com base nas diretrizes do Ministério da Saúde.

Áreas de alto risco na pandemia

A cidade do Rio de Janeiro lidera o ranking nacional de taxa de mortalidade de covid-19 no Brasil. O balanço foi realizado pelo Observatório Covid-19, ligado à Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Ao todo, 21 estados estão na lista dos que estão em nível médio ou crítico de ocupação das UTIs para a covid-19.

Na última semana, segundo o boletim emitido pelo município, as regiões de Portuária, São Cristóvão, Ramos, Penha, Inhaúma, Jacarepaguá, Ilha do Governador, Guaratiba, Vigário Geral e Cidade de Deus entraram para a lista das regiões com alto risco de transmissão da doença.

Cotidiano