PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Cão que foi torturado e inspirou criação de lei volta a andar com prótese

De acordo com médica, a prótese ainda não é definitiva e uma mais adequada deverá ser elaborada - Nathan Braga/Arquivo pessoal
De acordo com médica, a prótese ainda não é definitiva e uma mais adequada deverá ser elaborada Imagem: Nathan Braga/Arquivo pessoal

Júlia V. Kurtz

Colaboração para o UOL, de Passo Fundo (RS)

02/03/2021 17h05

O pitbull Sansão, cujas patas traseiras foram decepadas em julho de 2020, voltou a andar após receber uma prótese adaptada à sua pata traseira. O suporte foi doado pela ONG Patas Para Você e entregue na sexta-feira (26), em Confins, na Grande Belo Horizonte. Ele foi confeccionado especialmente para o cachorro e produzido em Denver, nos EUA.

O tutor de Sansão, Nathan Braga, de 22 anos, conta que o pitbull já está se adaptando à prótese. "As pessoas sempre nos perguntam se é difícil cuidar dele, mas o Sansão sempre foi independente e conseguia fazer tudo sozinho, inclusive ir ao banheiro. A única coisa que precisávamos fazer é dar os remédios", conta.

A adaptação exige um treinamento que deve durar entre quatro e seis meses. Em seguida, a expectativa é que Sansão possa usá-la por até 12 horas diárias.

Ao UOL, Monica Veras, a médica veterinária e representante da empresa que fabricou a prótese, conta que normalmente os suportes são produzidos sob medida para cada animal. O caso de Sansão precisou ser abordado de outra forma porque o comprimento das pernas eram diferentes em relação ao que a empresa estava habituada a trabalhar e não se encaixava nos moldes tradicionais.

A solução foi usar um acessório que precisou passar por cima do quadril e ser fixado em outra pata. "Se nós não fizéssemos isso, a prótese ia cair quando ele caminhasse", detalha a médica. O problema, nesse caso, é que isto impede que outro suporte seja colocado na perna restante.

Mesmo assim, a equipe estuda fabricar uma nova prótese para a perna traseira direita. "Como o movimento que ele faz (na perna) é bom, vamos tentar fazer uma nova prótese e ver se ele se adapta e começa a andar com quatro patas", informa Veras. Ainda não há previsão de quando este novo suporte fique pronto e o preço das próteses não foi divulgado.

O caso

Sansão perdeu as pernas em julho de 2020, após ser torturado por dois homens que o amarraram com arame farpado e usaram uma foice para mutilá-lo. O processo ainda está na Justiça. Um dos suspeitos foi multado por maus tratos a 13 animais que mantinha sem abrigo, alimentação e água em sua casa.

A história do pitbull se tornou conhecida em setembro do mesmo ano, após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) promulgar a lei 14.064/2020, que aumenta a pena para quem maltratar cães e gatos e se referir a ela como "Lei Sansão".

Cotidiano