PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Polícia encontra carro queimado que pode ter sido usado em homicídio em MS

Polícia suspeita que carro queimado foi usado em assassinato em Campo Grande - Divulgação
Polícia suspeita que carro queimado foi usado em assassinato em Campo Grande Imagem: Divulgação

Daniel César

Colaboração para o UOL, em Pereira Barreto (SP)

18/04/2021 15h37

A Polícia Civil do Mato Grosso do Sul apura se um carro encontrado queimado na madrugada de hoje é o mesmo utilizado pela dupla que matou o empresário do ramo de produtos recicláveis Geraldo Ramos Villa, 36, assassinado com mais de 60 tiros. O veículo foi descoberto numa estrada vicinal de Campo Grande.

Os investigadores constataram que se tratava de uma Hyundai HB20 S, a mesma utilizada pela dupla que atirou contra o empresário anteontem.

O carro foi recolhido para o Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) e passará por perícia, que irá tentar encontrar vestígios que possam comprovar que ele foi utilizado pelos bandidos, além de ajudar na possível identificação dos assassinos. Não há prazo para o resultado dos exames.

O inquérito está aberto e a investigação ainda não divulgou nenhum suspeito do crime, mas a localização do carro dá indícios para a Polícia Civil de que os bandidos devem ter fugido com outro carro e possivelmente para outra cidade.

Além do carro, os investigadores estão analisando uma série de documentos que estavam no automóvel de Geraldo no momento em que ele foi morto e tentando achar uma linha para os motivos da execução.

Condenação por homicídio

A vítima já havia sido presa em 2007, acusada de ter matado uma pessoa em 2004 e foi a júri popular em 2009, sendo condenada pelo crime, mas já estava em liberdade. Além disso, o irmão dele morreu há alguns anos, suspeito de ter ligação com o tráfico de drogas.

Segundo a Polícia Civil, além desses dois elementos, há outra linha de investigação, já que Geraldo também foi acusado de tentativa de homicídio contra outras três pessoas em 2003.

Geraldo foi sepultado hoje de manhã em Corumbá (MS), sua cidade natal. Morava há quatro meses em Campo Grande.

Cotidiano