PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

'A gente vai morrer': Estudante morta em acidente conheceu motorista no dia

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

22/04/2021 12h45Atualizada em 22/04/2021 16h10

A estudante Emmily de Souza, de 20 anos, que morreu em um acidente de carro no último dia 8, em Piratininga (RJ), pouco após gravar um vídeo em que brincou sobre a chance de morrer, conheceu o motorista do veículo naquela mesma noite, quando saíram com mais três amigos para jantar.

Leonardo Pagani, de 20 anos, era um amigo em comum de outros que a acompanhava e o grupo voltava de carona com ele para suas casas, depois de um encontro em um restaurante de comida japonesa. Segundo a investigação, o motorista ingeriu bebida alcoólica antes de assumir a direção.

Imagens feitas dentro do carro mostram o grupo feliz e cantando. Em uma das gravações é possível ver que o motorista dirige sem as mãos no volante.

miranda - Reprodução/Redes Sociais - Reprodução/Redes Sociais
A estudante de veterinária Emmily Miranda, de 20 anos, morreu após o carro em que ela estava com os amigos colidir com uma moto e capotar várias vezes no RJ
Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Emmily chega a dizer: "a gente vai morrer", filmando a velocidade alcançada. O motorista perdeu o controle do carro e capotou. Ao todo, três jovens morreram no local e dois ficaram feridos.

Paula Camacho, mãe da influencer, contou ao UOL que soube do acidente após estranhar a demora da filha. Ela ligou para o celular da jovem e foi informada por um policial sobre o capotamento na Estrada Francisco da Cruz Nunes, em Piratininga.

O acidente ocorreu na volta para casa. Eu estava ligando para ela, pois ela estava demorando. Nós nos falávamos o tempo todo. Ela mandava localização, me dizia tudo. Só que ela demorou a me responder dessa vez e fiquei preocupada, comecei a ligar e aí um policial atendeu e me disse do acidente. Foi a 5 km da nossa casa"

Emmily era filha única, cursava o terceiro período de medicina veterinária, fazia autoescola e trabalhava como jovem aprendiz na área de faturamento de uma empresa de saúde.

emmily - Reprodução/Redes Sociais - Reprodução/Redes Sociais
A estudante de veterinária Emmily Miranda
Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Nas redes sociais, a jovem já tinha alguma fama de influencer, com 60 mil seguidores no TikTok e quase 30 mil no Instagram. Emmily fazia também um curso de modelo. Emocionada, a mãe descreveu a filha como "uma boa filha, menina feliz e alegre".

Ela contou que a jovem gostava de estudar, adorava música, dançar, e que amava jogar altinha na praia. "Ela amava os animais", contou a mãe, que recebeu mais de três mil mensagens de apoio na internet após a perda da filha.

Mais do que mãe e filha, Paula e Emmily eram parceiras e grandes amigas. Passavam carnaval juntas, iam a blocos fantasiadas.

Era sempre te amo daqui, te amo dali. Estávamos sempre juntas em tudo. Ela não teve essa fase de sentir vergonha de mim. Me apresentava a todos"

Um grupo de amigos de Emmily fez uma tatuagem em homenagem à amiga: Uma auréola sobre as asas de um anjo e o nome Emmy.

Rapaz que fazia Educação Física também morreu

Outra vítima do acidente foi o jovem Gabriel Palmieri, de 19 anos. A mãe dele, Renata Costa, disse que soube do acidente através da ligação de uma amiga do filho. A mãe contou que ela e Gabriel trabalhavam juntos e que após o expediente deixou o jovem na porta do restaurante. Eram 19h10. O acidente ocorreu cerca de quatro horas depois.

O grupo era amigo de escola, com exceção de Leonardo, motorista do carro, que foi vizinho da avó de Gabriel. Os dois não se viam há um tempo e se reencontraram há apenas quatro meses.

Além de Emmily, Gabriel Gonçalves, de 19 anos, e Roberta da Costa Miranda Ribeiro, 17, também morreram no local - Reprodução/Redes Sociais - Reprodução/Redes Sociais
Além de Emmily, Gabriel, de 19 anos, e Roberta Miranda Ribeiro, 17, também morreram no local
Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Renata descreveu o filho como um jovem "com muita luz e alegria, gostava de estar entre amigos e ajudar a todos. Reclamava de nada e estava sempre de bom humor. Sempre brincando".

Gabriel cursava o terceiro período de Educação Física e queria ser personal trainer. Ele deixou a mãe e o irmão de 14 anos. O pai do jovem faleceu oito anos antes.

Os dias parecem não ter fim, a dor é imensurável. Ainda espero ele chegar"

O UOL não conseguiu localizar os pais de Roberta Ribeiro, que também morreu no capotamento.

Relembre o caso

O acidente ocorreu no dia 8 deste mês, às 23h30, na Estrada Francisco da Cruz Nunes, em Niterói, cidade da região metropolitana do Rio. Cinco jovens voltavam para a casa de carona com Leonardo Moraes da Silva Pagani, de 20 anos.

Leonardo e um amigo, identificado como Raphael Guerreiro, de 18 anos, ficaram feridos. O motorista chegou a ser encaminhado em estado grave para o Hospital Estadual Azevedo Lima.

Em depoimento à Polícia Civil do Rio, uma testemunha confirmou que o motorista ingeriu bebida alcoólica antes de dirigir. No hospital, o médico responsável pelo atendimento das vítimas, declarou que Leonardo apresentava hálito etílico e agitação psicomotora.

O delegado Fábio Barucke disse ao UOL que Leonardo poderá ser indiciado por triplo homicídio culposo.

Mas ainda avalio a possibilidade de homicídio doloso por assumir o risco do resultado, em razão de ter bebido e tirado as mãos do volante do carro em alta velocidade"

Raphael já foi ouvido pela polícia e Leonardo é aguardado para prestar depoimento. Ele era esperado na sexta-feira (16) na delegacia, mas o advogado apresentou um laudo médico e adiou o depoimento do jovem.

O UOL ainda não conseguiu contato com o advogado de Leonardo, mas atualizará a reportagem caso consiga um posicionamento.

Cotidiano