PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

SC: Jovem suspeito de cometer ataque em creche pode ter alta médica amanhã

Creche Pró-Infância Aquarela, no centro de Saudades (SC), onde aconteceu o atentado; suspeito pode ter alta amanhã - William Ricardo/Ishoot/Estadão Conteúdo
Creche Pró-Infância Aquarela, no centro de Saudades (SC), onde aconteceu o atentado; suspeito pode ter alta amanhã Imagem: William Ricardo/Ishoot/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

10/05/2021 09h51Atualizada em 10/05/2021 10h23

O jovem de 18 anos suspeito de cometer o ataque ocorrido em uma creche no município de Saudades, a 446 km de Florianópolis (SC), pode ter alta médica amanhã, segundo boletim médico divulgado hoje pelo Hospital Regional do Oeste, em Chapecó. Internado desde o dia do ataque, ocorrido na última terça-feira (4), o jovem deixou a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da unidade de saúde na sexta-feira (7).

O atentado que matou três crianças e duas mulheres aconteceu na CEI (Centro de Educação Infantil) Pró-Infância Aquarela, voltado para crianças de até 3 anos. Elas foram golpeadas com um tipo de facão. Após o ataque, o jovem tentou se matar com a arma branca, mas foi impedido por populares.

"O paciente está com boa evolução clínica e cirúrgica, com provável critério de alta hospitalar a partir de amanhã", informa o boletim.

O boletim ainda detalha que o suspeito "apresenta melhora clínica satisfatória, aceitou dieta por via oral nos últimos dois dias, não está mais dependendo de suporte com oxigênio, retirado o dreno torácico e serão retirados drenos do abdômen, cervical e perna esquerda no dia de hoje".

Também será avaliado hoje a possibilidade de "remover a cânula metálica de traqueostomia concomitante" do jovem.

Já o bebê de 1 ano e 8 meses que sobreviveu ao ataque recebeu alta ontem no Hospital da Criança Augusta Muller Bohner, em Chapecó. Na saída da unidade de saúde, profissionais prestaram homenagens a ele ao som do Coral Mensageiros da Alegria.

Suspeito tinha perfil reservado

Segundo a Polícia Civil, o suspeito de cometer o atentado tinha o perfil reservado e vinha sofrendo bullying na escola. A apuração inicial dos policiais também aponta que o homem de 18 anos vinha maltratando animais e não queria mais ir à escola, onde cursava o ensino médio.

Ainda de acordo com a polícia, o jovem portava duas armas brancas, mas apenas uma delas teria sido utilizada no ataque. Ambas teriam sido compradas há pouco tempo. De acordo com o delegado da Polícia Civil responsável pelo caso, Jeronimo Marçal, o jovem chegou a afirmar que usaria os instrumentos para maltratar um animal de uma familiar.

"Ele brincou com ela que era para maltratar o bichinho que ela tinha em casa. Ninguém imaginava que ele faria isso", declarou ele, em contato com UOL,

Pedido de prisão preventiva

A Justiça catarinense acatou o pedido do MP-SC (Ministério Público de Santa Catarina) para decretar a prisão preventiva do suspeito. A confirmação da prisão preventiva foi feita pelo delegado Marçal.

O delegado anunciou também que pediu o indiciamento do suspeito por cinco homicídios triplamente qualificados (motivo torpe, por meio cruel e sem possibilidade de defesa às vítimas) e uma tentativa de homicídio, já que uma das crianças sobreviveu.

Velório de vítimas de ataque a escola reúne cerca de 1,5 mil pessoas em SC

Centro de Valorização da Vida

Caso você esteja pensando em cometer suicídio, procure ajuda especializada como o CVV (Centro de Valorização da Vida) e os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) da sua cidade. O CVV funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil.

Cotidiano